12 Agosto 2022, 12:51

Polícia timorense detém responsável da operadora de telecomunicações Telemor

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Díli, 23 nov 2020 (Lusa) — Agentes da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) detiveram hoje o responsável da Telemor, um dos três operadores telefónicos do país, no âmbito de uma investigação sobre alegado uso de ligações ilegais por satélite para fornecimento dos serviços de internet.


A operação levou ainda à detenção de um segundo suspeito de envolvimento no processo, o responsável da empresa de telecomunicações Elite Computer.


Testemunhas explicaram à Lusa que os agentes atuaram em paralelo em dois locais da cidade, no centro comercial Timor Plaza, onde está a sede da Telemor, e na zona comercial de Colmera, onde está a Elite Computer.


Os funcionários foram ordenados a sair das instalações que foram fechadas e marcadas com uma cinta amarela e preta.


Em causa está, segundo fontes do setor ouvidas pela Lusa, supostas ligações ilegais por satélite à Indonésia que não terão as licenças adequadas, com o serviço de internet a ser fornecido a vários clientes incluindo ministérios e o próprio comando da PNTL.


A agência timorense Tatoli refere que os agentes do Serviço de Investigação Criminal executaram um mandado de detenção do Tribunal Distrital de Díli e que os detidos vão ser agora apresentados a Tribunal.


O mandado inclui a investigação ao ‘data centre’ da Telemor, a terceira operadora a instalar-se no país, subsidiária do grupo estatal de telecomunicações vietnamita Viettel Group.


Os agentes registaram ainda a palavra-passe de acesso ao controlo do sistema de dados da Elite Computer que, alegadamente, usava uma ligação ilegal por satélite a partir de Atambua, na Indonésia.


Segundo o processo, essa ligação estava a ser usada ilegalmente desde 2012.


O mandado inicial baseia-se, segundo fontes do setor, em determinações recentes da Autoridade Nacional de Comunicações (ANC), que considera não estar a ser cumprida a legalidade no uso das ligações.


Em causa estão os crimes de burla informática e fraude fiscal, segundo a Tatoli, que refere que a Elite Computer foi responsável pela instalação, entre outros, dos sistemas de CCTV na cidade de Díli e do posto integrado da fronteira terrestre.


 


ASP // VM


Lusa/Fim


 

Sem comentários

deixar um comentário