02 Janeiro 2023, 15:41

Polícias vão aguardar por resposta do Governo após concentração em Lisboa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) vai aguardar pela resolução de questões de pré-aposentação que hoje levaram ao Ministério da Administração Interna (MAI) mais de 100 polícias, mas admite voltar a usar formas de luta.

Depois de uma delegação da ASPP/PSP ter sido recebida no MAI, onde entregou uma moção, o presidente da estrutura, Paulo Santos, disse aos agentes concentrados no exterior que era preciso dar agora “algum espaço” para que sejam resolvidas as reivindicações que estiveram na origem da concentração, relacionadas com a passagem à pré-aposentação dos polícias que atingiram o limite de idade na PSP.

A delegação foi recebida pela chefe de gabinete do ministro, que, segundo Paulo Santos, disse que da parte do MAI o processo está concluído, tendo transitado para o Ministério das Finanças.

“Não é uma resposta satisfatória, o Governo é só um, não era a resposta que queríamos ouvir, mas temos de dar algum espaço”, disse o dirigente.

Antes Paulo Santos já tinha dito à Lusa que se se não houver uma solução satisfatória os polícias poderão voltar a usar formas de luta.

O protesto de hoje relaciona-se com os polícias que já atingiram o limite de idade para estarem ao serviço na PSP, os 60 anos, bem como o incumprimento do estatuto profissional, que entrou em vigor em 2015 e estabelece que aqueles com mais de 55 anos de idade e 36 anos de serviço podem passar à pré-aposentação.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário