07 Fevereiro 2023, 09:14

Polónia acolhe maior número de refugiados da guerra em outubro

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Bruxelas, 09 dez 2022 (Lusa) — A Polónia continuava em outubro a ser o Estado-membro da União Europeia (UE) a receber o maior número de ucranianos fugidos da guerra lançada pela Rússia (54.520), divulga hoje o Eurostat.


Entre os Estados-membros para os quais há dados disponíveis, depois da Polónia, a Alemanha (37.595) foi o segundo país a conceder maior número de estatutos de proteção temporária (figura de que gozam os ucranianos), seguida pela Itália (8.620), a Roménia (8.425) e a Bulgária (7.250).


O serviço estatístico da UE destaca ainda que, de setembro para outubro, o número de ucranianos que receberam proteção temporária recuou em 22 dos 26 Estados-membros que apresentam dados.


As maiores descidas foram observadas na Alemanha (menos 14.385 de setembro para outubro), em Itália (3.750), na Roménia (1.290) e na Dinamarca (1.020).


A Bulgária (2.770), Irlanda (1.210), Polónia (975) e Hungria (20) foram os países que registaram subidas.


Portugal concedeu, em outubro, 1.165 proteções temporárias a ucranianos.


A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas — mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).


A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.


A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.702 civis mortos e 10.479 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.



IG // APN


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário