22 Setembro 2022, 21:59

Portugal contribui com 1,5MEuro para fundo global contra a sida, tuberculose e malária

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Portugal vai contribuir com 1,5 milhões de euros para o fundo global de luta contra o VIH/SIDA, tuberculose e malária para financiamento das atividades no triénio 2023-2025, indicou hoje o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

Em comunicado, o MNE precisa que esta contribuição responde ao apelo do fundo global de luta contra o VIH/SIDA, tuberculose e malária, no sentido de serem incrementadas em 30% as contribuições dos seus membros.

O MNE salienta que, com este anúncio, Portugal aumenta em 50% o valor da sua contribuição para o fundo global, em comparação com o valor de um milhão de euros do triénio anterior.

De acordo com o Ministério liderado por João Gomes Cravinho, esta contribuição é assegurada conjuntamente pelos orçamentos dos ministérios dos Negócios Estrangeiros, através do Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, e da Saúde.

“O objetivo do fundo é angariar financiamento para o próximo ciclo trienal de subvenções na resposta às três doenças, na expectativa de que esse montante possa vir a salvar 20 milhões de vidas, reduzir em cerca de dois terços as mortes por VIH/SIDA, tuberculose e malária, bem como reforçar os sistemas de saúde e comunitários”, refere o comunicado.

Segundo o MNE, a contribuição de 1,5 milhões de euros foi anunciada pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Francisco André, na VII Conferência de reposição de fundos do fundo global, organizada pelos Estados Unidos, em Nova Iorque, liderada pelo Presidente norte-americano, Joe Biden.

O MNE explica que o fundo global é uma parceria mundial para combater o VIH/SIDA, a tuberculose e a malária, e para assegurar um futuro mais saudável, seguro e equitativo para todos.

De acordo com o MNE, este fundo investiu mais de 4,3 mil milhões de dólares desde o início da pandemia de covid-19 e, desde 2002, salvou cerca de 50 milhões de vidas.

Portugal associa-se, assim, à resposta prestada pelo fundo global à escala global, incluindo os PALOP e Timor-Leste, indica ainda o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário