13 Maio 2022, 16:31

Portugal junta-se a movimento que quer mais crianças a andar de bicicleta, skate e a pé

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 07 mai 2022 (Lusa) – Cerca de 20 localidades portuguesas juntam-se este mês, pela primeira vez, ao movimento internacional Kidical Mass, que reivindica mais espaço e condições nas cidades para as crianças se deslocaram de bicicleta ou a pé, sobretudo nas envolventes das escolas.


As localidades portuguesas vão integrar um grupo de 240 cidades de todo o mundo que vão ser cenário de iniciativas para promover a mobilidade sustentável das crianças e pedir aos poderes públicos condições para que isso aconteça em segurança, ou seja, que as crianças possam deslocar-se mais, como nas idas para a escola, de bicicleta, skate e trotinete ou a pé, em detrimento do carro, explicou à Lusa Rita Ferreira, umas das promotoras da Kidical Mass Portugal (Massa Crítica de Crianças).


Em Portugal, cidades como Lisboa organizam a sua Kidical Mass no fim de semana de 14 e 15 de maio, seguindo as datas do movimento internacional, mas há localidades em que estão agendadas para o fim de semana seguinte e há até um caso (Biscoitos, na Praia da Vitória, na ilha Terceira, Açores), em que a iniciativa está prevista para 20 de maio, segundo as informações disponíveis no site https://kidicalmass.pt/


Até agora, há cerca de 20 localidades já com iniciativas agendadas, mas continuam a chegar contactos para aderir à Kidical Mass, segundo os promotores, que se assumem como “um coletivo informal e espontâneo de voluntários – maioritariamente mães/pais/filhos, professores, ativistas da mobilidade sustentável, – de norte a sul de Portugal Continental e ilhas -, preocupados com a excessiva dependência do automóvel na mobilidade e do seu impacto no desenvolvimento das crianças”.


As Kidical Mass vão percorrer circuitos nas diversas localidades e são mais do que “um passeio” de bicicleta, de skate ou de trotinete, ou do que uma caminhada a pé, são “uma manifestação”, sublinhou Rita Ferreira.


“O objetivo aqui é muito claro, temos reivindicações a fazer. Reclamar espaço público para as nossas crianças e com as nossas crianças, são elas que reclamam”, afirmou.


Em concreto, as Kidical Mass pedem aos poderes públicos “envolventes escolares seguras e livres de poluição do ar, ruído e tráfego motorizado de atravessamento”, “rotas seguras para as escolas”, limite de 30 quilómetros por hora para o trânsito “nas localidades e ruas na envolvência das escolas”, “ciclovias largas, contínuas e com cruzamentos seguros, em estradas principais”, “mais espaço público dedicado à mobilidade ativa e para estar/brincar” e “fiscalização rodoviária efetiva”.


O movimento Kidical Mass inspira-se no movimento Massa Crítica, nascido nos Estados Unidos nos anos de 1960, justamente para promover e defender o uso da bicicleta no espaço público, assim como outros meios de deslocação mais sustentáveis e saudáveis, sobretudo no contexto urbano, em alternativa ao carro.


O Massa Crítica promove passeios de bicicleta, skate, trotinete ou a pé nas últimas sextas-feiras de cada mês em todo o mundo, incluindo em cidades portuguesas, como em Lisboa (a partir da praça Marquês de Pombal).


No Kidical Mass, o objetivo é “dar voz às crianças, à nova geração”, explicou Rita Ferreira, que diz que depois da grande adesão de grupos informais e associações de todo o país, sobretudo ligados à defesa do ambiente e ao ativismo da mobilidade sustentável, o objetivo agora é seguir o calendário do movimento internacional e fazer a iniciativa a cada seis meses, como acontece nos outros países.



MP // MCL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário