22 Outubro 2021, 08:47

PPUE: Governantes destacam necessidade de quadro regulatório estável para hidrogénio

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 07 abr 2021 (Lusa) — Governantes com a pasta da Energia destacaram hoje a necessidade de se criar um quadro regulatório estável para o hidrogénio na União Europeia, capaz de atrair os investidores privados para um mercado competitivo e previsível.


Esta posição foi um dos pontos em comum nas intervenções do ministro dos Assuntos Económicos e Política Climática dos Países Baixos, Bas van’t Wout, da secretária de Estado Parlamentar no Ministério Federal dos Assuntos Económicos e Energia da Alemanha, Elisabeth Winkelmeier-Becker, da secretária de Estado da Energia de Espanha, Sara Aagesen Muñoz, e do ministro da Energia e do Ordenamento do Território do Luxemburgo, Claude Turmes, que participavam na conferência “O Hidrogénio nas Nossas Sociedades — Estabelecer pontes”, num painel moderado pelo ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes.


“O investimento público e privado devem aliar-se e os governos têm a responsabilidade de dar os sinais certos, criando o quadro regulatório e as condições para que o setor privado possa investir com estabilidade e previsibilidade”, defendeu o ministro português, durante a sua intervenção na abertura da conferência a decorrer ‘online’ a partir do Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, e promovida no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia (PPUE), para debater políticas e estratégias no sentido de promover um mercado global de hidrogénio.


O ministro holandês apontou também a importância de mobilizar investimento do setor público, que será crucial para a implementação da estratégia europeia para o hidrogénio, enquanto elemento chave na descarbonização de setores da economia onde outras alternativas podem não ser viáveis, ou ser mais caras.


Por sua vez, a secretária de Estado Elisabeth Winkelmeier-Becker considerou que, além do quadro regulatório, é também crucial o planeamento das infraestruturas necessárias para a produção e distribuição de hidrogénio (obtido através da eletrólise da água, que separa o oxigénio do hidrogénio).


Para a secretária de Estado da Energia de Espanha, “é hora de acelerar o investimento e as decisões políticas”, estabelecendo as bases para um investimento estável.


“Precisamos de um sistema transparente, porque o investidor privado só estará interessado em avançar se houver transparência”, sublinhou o ministro da Energia do Luxemburgo, Claude Turmes, que apontou ainda a redução do custo dos eletrolisadores como uma das questões mais importantes para o futuro do hidrogénio.



MPE // CSJ


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário