12 Agosto 2022, 02:37

PR brasileiro diz que catástrofe em Petrópolis foi “muito grande”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

São Paulo, 18 fev 2022 (Lusa) – O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, afirmou hoje que as chuvas que atingiram a cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, provocaram uma “catástrofe muito grande”.


“Lamentamos e pedimos a Deus que conforte todos os familiares. Faremos o possível para minimizar o sofrimento do povo brasileiro”, afirmou Bolsonaro, na base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, a cerca de 70 quilómetros de Petrópolis, depois de chegar de uma viagem à Rússia e à Hungria.


O Presidente brasileiro rumou para Petrópolis, onde sobrevoou de helicóptero as áreas afetadas pela tempestade destruidora que atingiu a região nos últimos dias deixando 120 mortos e mais de uma centena de desaparecidos.


Bolsonaro está acompanhado por vários ministros do Governo, incluindo o ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, que informou que cerca de 820 membros das Forças Armadas estão mobilizados na região para ajudar as vítimas.


Por sua vez, o prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, referiu que a busca por mais vítimas continua e que as equipas estão a trabalhar para restabelecer um certo grau de normalidade no município.


Nesse sentido, Bomtempo afirmou que entre as prioridades estão “garantir a volta da energia elétrica, a recolha do lixo e o acesso ao transporte”.


“A situação é muito difícil”, disse o prefeito de Petrópolis.


Segundo dados oficiais, o temporal que caiu entre a tarde e a noite de terça-feira provocou até agora 120 mortos, mais de uma centena de desaparecidos e cerca de 850 pessoas desalojadas. Pelo menos 24 pessoas foram resgatadas com vida.


A tempestade que caiu com mais força na última terça-feira também causou sérios danos materiais e transformou Petrópolis, localizada na região serrana do Rio de Janeiro e um destino turístico muito popular, principalmente entre o público brasileiro, num verdadeiro atoleiro.


Segundo o governo do estado do Rio de Janeiro, essas foram as piores chuvas em Petrópolis desde 1932.


Na tarde de quinta-feira, uma nova tempestade causou inundações em vários pontos da cidade e obrigou alguns bairros a serem evacuados devido ao risco de mais deslizamentos de terra.



CYR // VM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário