06 Março 2023, 15:16

PR diz que OE foi concebido para quatro anos e que a guerra implica “sacrifícios”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, frisou hoje que o Orçamento do Estado (OE) para 2022 foi concebido para um “horizonte de quatro anos e meio” e reconheceu que o período de guerra implica “sacrifícios”.

Em declarações aos jornalistas na ilha de São Jorge, que está a viver uma crise sismovulcânica, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que o Orçamento do Estado para 2022 foi “concebido para definir um horizonte a quatro anos e meio”.

Contudo, ressalvou, aquando da apresentação do documento, o primeiro-ministro, António Costa, optou por tomar “medidas urgentes”, que já foram promulgadas pelo chefe de Estado.

“O Orçamento em si mesmo é um quadro para quatro anos e meio. Agora, há medidas urgentes e imediatas e ontem [quinta-feira] promulguei-as – para as famílias, empresas, para o setor específico da pesca, para empresas que têm uma utilização muito intensa de gás natural e depois, também, de reconversão energética para energias renováveis”, afirmou.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário