26 Setembro 2021, 14:42

PR felicita produtor Paulo Branco por ciclo de homenagem na Cinemateca Francesa

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 23 jun 2021 (Lusa) — O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou hoje o produtor Paulo Branco, quando se inicia na Cinemateca Francesa, em Paris, um ciclo de homenagem ao também distribuidor e exibidor cinematográfico.


Numa mensagem divulgada hoje na página oficial da Presidência da República Portuguesa na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa deixa “uma palavra de reconhecimento e louvor ao produtor, distribuidor e exibidor cinematográfico Paulo Branco, no dia em que a Cinemateca Francesa dá início a um ciclo de filmes, encontros e conferências em sua homenagem”.


“Numa carreira à qual associamos o gosto do risco e ‘o risco do gosto’, Paulo Branco soube conjugar a tradição francesa da ‘política dos autores’ com uma noção quase autoral do produtor, projeto audaz e persistente, agora celebrado na mais prestigiada das Cinematecas”, lê-se na mensagem.


A Cinemateca Francesa iniciou hoje um ciclo de homenagem ao produtor português Paulo Branco, que prevê a exibição de 36 filmes, em Paris, desde “Francisca” (1980), de Manoel de Oliveira, a “A Herdade” (2019), de Tiago Guedes.


“Devemos a este produtor inspirado e audacioso, que iniciou a sua atividade no cinema em Paris, como programador e exibidor, a emergência de uma parte maior da modernidade cinematográfica na Europa, a seguir ao final da década de 1970”, escreveu a Cinemateca Francesa na apresentação do ciclo.


Serão exibidos filmes como “A cidade branca” (1982), de Alain Tanner, “O estado das coisas” (1982), de Wim Wenders, “Casa de lava” (1994), de Pedro Costa, “Branca de neve” (2000), de João César Monteiro, e “Cosmopolis” (2012), de David Cronenberg.


O ciclo abre hoje à noite, com “O rei das rosas” (1986), de Werner Schroeter, numa sessão em que estará o produtor, e segue na tarde de quinta-feira com “Cosmos” (2014), de Andrzej Zulawski. Até ao final do mês, serão ainda exibidas outras produções de Paulo Branco, nomeadamente “Mistérios de Lisboa” (2009), de Raoul Ruiz, e “Maine Océan” (1985), de Jacques Rozier. O ciclo prolongar-se-á pelo mês de julho.


O ciclo estava previsto para fevereiro deste ano, mas foi adiado por causa da pandemia e do encerramento da Cinemateca Francesa.


A par de Paulo Branco, a Cinemateca Francesa tem igualmente em curso dois ciclos dedicados à atriz e realizadora Julie Delpy e ao ator Louis de Funés.


Este mês a instituição francesa exibirá ainda filmes dos cineastas portugueses David Pinheiro Vicente e João Salaviza, na secção O Cinema de Hoje.



JRS (SS) // MAG


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário