13 Maio 2022, 13:20

Presidente da República entrega Ordem do Infante D. Henrique à Liga Portuguesa dos Bombeiros

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou hoje, no Porto, a Liga Portuguesa dos Bombeiros com o distintivo da Ordem do Infante D. Henrique pelo “prestígio” e “abnegação” conhecidos e respeitados no estrangeiro.

“Hoje, porque sei do prestígio que tendes lá fora. A vossa abnegação é conhecida e é respeitada. Eu vi elogiá-la a chefes de Estado e chefes de Governo dos países mais diversos e de forma especial nos últimos anos, por causa dos fogos que nos atormentaram e da capacidade de apoiar no combate à pandemia. Vou hoje entregar, impor, o estandarte da Liga Portuguesa dos Bombeiros, a Ordem do Infante Dom Henrique”, anunciou Marcelo Rebelo de Sousa, durante a cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro.

O Presidente da República explicou que o distintivo significa a “projeção de Portugal no mundo”.

“Aqui, onde o Infante D. Henrique teve as suas raízes, aqui no Porto”, disse.

“Dir-me-ão: ‘É só uma condecoração. Nós precisamos tanto ou mais do que reconhecimentos e condecorações e medalhas, precisamos de meios, precisamos de apoios, precisamos de compreensão, precisamos de ajuda todos os dias´. É verdade”, assumiu Marcelo Rebelo de Sousa.

Contudo, a condecoração significa que o Presidente da República Portuguesa “não se esquece de que é há décadas dirigente de uma associação humanitária de bombeiros, que não se esquece que como autarca testemunhou a coragem dos bombeiros numa metrópole urbana como num pequeno e pobre município rural”.

“Muito obrigado. Muito obrigado por anos e anos e anos e dias e dias e dias ao serviço dos portugueses. Que nunca vos esqueçam, que gostariam muitos deles ter a vossa coragem e dedicação e o vosso sentido de serviço dos outros. Têm-no à sua maneira, mas não têm com o risco, com o altruísmo, com a abnegação que é a vossa. Vivam as bombeiras de Portugal. Vivam os bombeiros de Portugal. Viva o nosso querido, secular e eterno Portugal”, concluiu.

Durante a cerimónia, o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, anunciou que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) previa uma verba de 20 milhões de euros para aquisição de 81 veículos florestais, equipamentos de proteção individual e formação de 3.300 agentes de proteção civil até 2023.

Sem comentários

deixar um comentário