29 Janeiro 2022, 11:14

Presidente do Governo dos Açores alerta para “novas dificuldades” que se avizinham

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Ponta Delgada, Açores, 24 dez 2021 (Lusa) — O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, alertou hoje, na sua mensagem de Natal, para as “novas dificuldades” que se “avizinham”, devido aos aumentos dos custos de energia, das matérias-primas e dos bens essenciais.


“No mundo e na economia novas dificuldades se avizinham. Os aumentos dos custos da energia, das matérias-primas e bens essenciais, dos combustíveis, entre outros, que não dependem da responsabilidade direta dos Açores ou dos açorianos”, considerou o social-democrata, numa mensagem disponibilizada pelo executivo PSD, CDS-PP, PPM.


Bolieiro refere que as “novas dificuldades” são responsabilidade dos “mercados internacionais” e vão representar um “teste” à economia açoriana e um “enorme desafio” para o Governo Regional.


“O Governo dos Açores tudo fará para que se evitem grandes quebras de financiamento na nossa economia, promovendo um clima de confiança nos nossos empresários, garantindo melhores condições de vida às açorianas e açorianos”, acrescentou.


O líder regional disse ser “fundamental” criar “mais riqueza” e “mais emprego”, bem como contribuir para a igualdade de oportunidades.


“Acreditamos, sem reservas, na capacidade da sociedade civil, das nossas empresas e tenho a certeza de que juntos conseguiremos ultrapassar as dificuldades e os desafios que se avizinham”, destacou.


A propósito da pandemia da covid-19, Bolieiro salientou que, “com o aumento da vacinação”, o “pior já passou”.


“Mas não posso deixar de alertar, nesta altura em especial, para o reforço de cuidados”, acrescentou.


O chefe do executivo açoriano defendeu que no “último ano” foi possível “conciliar a proteção da saúde pública com as atividades” das empresas, “ao mesmo tempo” que foi promovida uma “maior coesão social e territorial interilhas”.


“Foi um grande orgulho perceber o interesse dos açorianos pelos Açores inteiros. Muitos foram conhecer a outra ilha, que ainda não conheciam. Sentiram-se mais açorianos”, afirmou, numa alusão à Tarifa Açores, criada pelo governo em junho, que fixou em 60 euros o preço máximo para as viagens áreas entre as ilhas para os residentes.


Contudo, realçou, “ainda há muito para fazer”: “Lembramos todos os que necessitam e merecem uma palavra de reconhecimento e de apoio do seu governo. A todos estes, aos que sofrem, gostaria de deixar, nesta mensagem, no nascimento do menino Jesus, que nos enche a alma de esperança, de solidariedade e de coragem, uma palavra de confiança.”


Bolieiro deixou ainda votos de que os Açores sejam uma região “mais humanista, mais justa e solidária” em 2022.


“Hoje, na consoada, com os nossos, com quem queremos bem, lamentaremos que o Natal ainda não é o que era. Mas este ano está melhor do que o ano passado. Estou confiante de que o próximo será ainda melhor. Tenhamos resiliência e paciência. A todos desejo que o ano de 2022 traga o melhor”, concluiu.


Esta é a segunda mensagem de Natal de José Manuel Bolieiro, que tomou posse como presidente do Governo dos Açores em novembro de 2020.



RPYP // NS


Lusa/Fim


 

Sem comentários

deixar um comentário