29 Janeiro 2022, 01:46

Presidente do Irão visita Moscovo no início de 2022 a convite de Putin

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Teerão, 28 dez 2021 (Lusa) – O Presidente iraniano, Ebrahim Raisi, irá visitar a Rússia no início de 2022, a convite do seu homólogo russo, Vladimir Putin, disse hoje o porta-voz do Governo iraniano.


“Como parte da interação estratégica entre o Irão e a Rússia, o Presidente Putin convidou o nosso Presidente a visitar a Rússia”, disse o porta-voz Ali Bahadori-Jahromi, adiantando que o encontro dos dois líderes deverá ter lugar no início de 2022.


Esta será a primeira visita de um Presidente iraniano à Rússia desde 2017, quando o antecessor de Raisi, o moderado Hassan Rouhani, visitou Moscovo.


Segundo o porta-voz iraniano, a visita incidirá na “cooperação bilateral, regional e nacional”, especialmente ao nível “económico e comercial”.


A Rússia e o Irão viram as suas relações melhorarem nos últimos anos, com Teerão e Moscovo a fazerem uma aproximação económica, política e militar graças aos interesses geopolíticos comuns, e estão a cooperar em várias questões.


Os dois países são os principais apoiantes estrangeiros do Presidente sírio Bashar al-Assad contra os vários grupos rebeldes e ambos estão também preocupados com uma possível desestabilização em torno do Afeganistão, após a tomada do poder no país pelos talibãs.


A Rússia é parte no acordo sobre o programa nuclear iraniano e está a participar em negociações para o salvar, tendo proposto a Teerão o levantamento de parte das sanções que sufocam a sua economia, em troca de uma redução drástica do seu programa nuclear, colocado sob rigoroso controlo da ONU.


O acordo sobre o nuclear com o Irão, assinado em 2015, tem estado em causa desde a retirada unilateral dos Estados Unidos, em 2018, e a reposição de sanções económicas que afetam vários setores do país, incluindo as exportações de petróleo.


Em setembro, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, apelou aos Estados Unidos para que “sejam mais ativos e resolvam todas as questões relacionadas” com o relançamento do acordo nuclear com o Irão, criticando as sanções unilaterais contra Teerão.


Após uma interrupção de cinco meses, as negociações para salvar o acordo concluído em 2015 foram reiniciadas esta semana entre os países ainda signatários do acordo, nomeadamente Alemanha, França, Reino Unido, China, Irão e Rússia.



ANP // PDF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário