04 Julho 2022, 20:13

Prestações de desemprego voltam a cair em abril para 185.673

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 22 mai 2022 (Lusa) – O número de beneficiários de prestações de desemprego voltou a cair em abril, em 31 % face ao período homólogo e em 7,2% comparando com o mês anterior, para 185.673, segundo as estatísticas mensais da Segurança Social.


“Em abril de 2022, foram processadas 185.673 prestações de desemprego”, lê-se na síntese estatística elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.


O número total de prestações de desemprego registadas em abril é o mais baixo desde o início da pandemia, em março de 2020, tal como já tinha acontecido no mês anterior.


Os dados mostram que em abril, na comparação com o mês anterior, ocorreu uma diminuição de 14.423 beneficiários (-7,2%) e, face ao período homólogo, a redução foi de 83.539 beneficiários (-31,0%).


O sexo feminino representava 57,3% do total das prestações de desemprego em abril e o sexo masculino 42,7%.


O subsídio de desemprego abrangeu 132.797 pessoas em abril, representando igualmente o valor mais baixo desde o início da pandemia de covid-19, com uma diminuição de 8.983 (-6,3%) face ao mês anterior e uma redução de 76.228 subsídios processados (-36,5%) comparando com o mesmo período do ano anterior.


Já o subsídio social de desemprego inicial foi atribuído em abril a 6.441 pessoas, uma descida em cadeia de 15,0% e de 39,6% face ao mês homólogo.


O subsídio social de desemprego subsequente foi concedido a 24.313 beneficiários, tendo ocorrido um aumento de 1.317 pessoas (+5,7%) face a março e, em termos homólogos, um acréscimo de 5.182 pessoas (+27,1%).


A prorrogação da concessão do subsídio de desemprego abrangeu 15.375 pessoas em abril, tendo-se verificado uma redução do número de processamentos face a março em 28,8%.


Em abril, o valor médio das prestações de desemprego situou-se nos 548,63 euros, mantendo-se praticamente idêntico ao dos dois meses anteriores e acima dos registado ao longos dos últimos meses.



DF // MSP


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário