19 Outubro 2021, 18:29

Principais bolsas europeias caem mais de 3% com receio de impacto de nova estirpe

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Redação, 21 dez 2020 (Lusa) – As principais bolsas europeias estavam hoje, cerca das 13:30, a cair mais de 3%, e o preço do petróleo Brent, negociado em Londres, negociou abaixo dos 50 dólares esta manhã, na sequência da descoberta da nova estirpe do coronavírus.


De acordo com a Bloomberg, pelas 13:45 a bolsa que mais caía era a de Madrid, que perdia 3,58% para 7.749,30 pontos, seguida da praça financeira de Milão, que caía 3,28% para 21.254,58 pontos.


Com perdas superiores a 3% negociavam as praças de Frankfurt (3,17% para 13.198,80 pontos) e Paris (3,06% para 5.358,53 pontos).


Apenas a praça de Londres escapava ao limite dos 3%, recuando 2,65% para 6.355,98 pontos.


À mesma hora, o PSI20, principal índice da bolsa de Lisboa, perdia 2,72% para 4.633,41 pontos.


Também esta manhã o preço do petróleo Brent, negociado em Londres, chegou a baixar dos 50 dólares por barril, para um mínimo de 49,32 dólares entre as 10:00 e as 11:00 horas, mas pelas 13:50 já negociava acima dos 50 dólares.


Esta quebra representou cerca de 5,51% abaixo do fecho de sexta-feira, dia em que fechou nos 52,20 dólares, de acordo com a agência Efe.


As movimentações nos mercados financeiros dão-se num dia em que surgem receios relacionados com a expansão do coronavírus na Europa, depois do Reino Unido ter detetado uma nova variante do vírus.


A incerteza sobre se haverá um acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) antes do atual período de transição pós-Brexit (saída britânica da UE), que termina em 31 de dezembro, também teve impacto nos mercados.


A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.685.785 mortos resultantes de mais de 76,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.


Em Portugal, morreram 6.134 pessoas dos 374.121 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.



JE // JNM


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário