22 Janeiro 2023, 09:21

Projeto «Orgânico» atinge as mil toneladas de resíduos recolhidos

© CMP Filipa Brito

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O projeto «Orgânico», da empresa municipal Porto Ambiente, atingiu as mil toneladas de resíduos orgânicos recolhidos desde que foi implementado, em abril do ano passado, e assume-se como um “grande impulsionador da economia circular”.

“É fruto do envolvimento de 26 mil famílias que contam, para o efeito, com mais de 400 contentores de proximidade. As recolhas ultrapassam as 100 toneladas por mês”, refere a autarquia em comunicado.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A expansão deste projeto, que prevê que abranja praticamente toda a cidade até ao final de 2023 e engloba já este ano o alargamento da rede de contentores para cerca de 650, tem constituído um forte estímulo à recolha seletiva de resíduos, contribuindo para o crescimento progressivo da taxa de reciclagem.

A estratégia seguida pela Câmara do Porto para a gestão destes resíduos assenta, prioritariamente, “na redução e no combate ao desperdício alimentar”, através de iniciativas com vista à redução de excedentes como «Dose certa» ou do «Embrulha», com a disponibilização gratuita de embalagens biodegradáveis aos restaurantes, possibilitando aos clientes levar as sobras das suas refeições para casa.

O Município do Porto tem apostado também em soluções de tratamento local de biorresíduos, tais como a compostagem caseira (tendo sido entregues mais de 2 mil compositores) e comunitária, com evidentes vantagens de redução de custos e de impactos ambientais associados a soluções de tratamento centralizado.

Sem comentários

deixar um comentário