23 Janeiro 2022, 11:59

PRR: São Carlos e Museu de Arqueologia com maior fatia de investimento na Cultura

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

O Teatro Nacional de São Carlos e o Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, são os equipamentos que terão a maior fatia de investimento, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a Cultura, foi hoje anunciado.

Os dados foram revelados pelo diretor-geral do Património Cultural, João Carlos Santos, numa apresentação pública, em Lisboa, sobre as verbas do PRR para a área da Cultura, com um valor global de 243 milhões de euros (ME).

Para a área da salvaguarda do património cultural estão destinados 150 milhões de euros, a repartir pela requalificação e conservação de 46 museus, palácios, monumentos e teatros nacionais, e também para o programa Saber Fazer.

Segundo João Carlos Santos, o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural ficará responsável pela aplicação dos 150 milhões do PRR e será o intermediário na atribuição das verbas com as entidades envolvidas.

De acordo com a lista enumerada pelo diretor-geral, a maior fatia de investimento será para o Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, com um total de 27,9 milhões de euros, seguindo-se o Museu Nacional de Arqueologia, também na capital, com um total de 24,5 milhões.

O Teatro Nacional D. Maria II, igualmente em Lisboa, terá um investimento de 9,6 milhões, o Palácio Nacional de Mafra de 8,6 milhões de euros, o Museu Nacional do Traje, em Lisboa de 6,2 milhões de euros e o Museu Monográfico de Conímbriga de 5,1 milhões de euros.

O diretor-geral do Património Cultural referiu que a taxa de financiamento será de 100% do valor elegível e os apoios são na modalidade de “incentivos não-reembolsáveis”.

 

Sem comentários

deixar um comentário