12 Agosto 2022, 22:24

PS quer compreender o que leva cidadãos a procurar solução “que contende” com valores constitucionais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O secretário-geral adjunto do PS reconheceu hoje que “é importante compreender” as razões pelas quais os cidadãos procuram uma solução que “contende com valores constitucionais”, como o Chega, após uma reunião da Comissão Política do partido.

No final de uma reunião de quatro horas da Comissão Política do PS na sede do partido, em Lisboa, José Luís Carneiro disse que correlação de forças na Assembleia da República, com o Chega como terceira força política com maior representação, foi alvo de discussão pela direção socialista.

“É importante compreender, essa foi uma nota que foi objeto de discussão, as razões pelas quais os cidadãos procuram alternativas, soluções de política alternativa, nesse caso em concreto, soluções de políticas alternativas que, nalguns casos, contende mesmo com valores constitucionais”, referiu o secretário-geral adjunto socialista.

A Comissão Política do PS concluiu, prosseguiu o dirigente, que tem de “continuar a desenvolver políticas que sejam políticas nas quais todas e todos os portugueses se possam continuar a rever, na medida em que ao reverem-se nessas políticas estão também a contribuir para o fortalecimento democrático e dos valores constitucionais”.

Uma nota que o partido também quis deixar foi “a importância” que teve a participação dos portugueses nas eleições legislativas de 30 de janeiro.

“Quando os eleitores sentem que algo de muito importante está em questão, mobilizam-se para votar”, sustentou José Luís Carneiro, acrescentando que o resultado eleitoral é uma prova da confiança dos portugueses no secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa.

Sem comentários

deixar um comentário