14 Maio 2022, 14:46

PSD: PSD/Madeira diz que “não há almoços grátis” para candidatos à liderança do partido

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Funchal, Madeira, 29 abr 2022 (Lusa) — O presidente do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, disse hoje não ter ainda falado com os candidatos à liderança do partido, mas indicou que pretende apoiar o que melhor se posicionar na defesa da região, advertindo que “não há almoços grátis”.


“Consoante a conversa, consoante a decisão”, explicou, adiantando que Luís Montenegro e Jorge Moreira da Silva vão deslocar-se à Madeira na próxima semana, em dias diferentes, ainda por definir, para se reunirem com os militantes do PSD insulares.


Miguel Albuquerque, que é também presidente do Governo Regional de coligação PSD/CDS-PP, falava à margem de uma visita à empresa do setor imobiliário KW — Keller Williams, no Funchal.


“Vamos conversar primeiro”, disse, alertando que “não há almoços grátis para ninguém.”


Ainda segundo Miguel Albuquerque “quem estiver em posição de defender as posições da Madeira” terá o apoio do PSD/Madeira.


“Quem se posicionar nesse sentido, nós apoiamos”, insistiu.


Miguel Albuquerque admitiu, no entanto, a possibilidade de a estrutura diretiva do PSD/Madeira não manifestar apoio a nenhum dos candidatos, dando liberdade de voto aos militantes, como aconteceu nas últimas eleições, disputadas por Rui Rio e Paulo Rangel.


Por outro lado, o líder do PSD/Madeira garantiu ainda que Luís Montenegro e Jorge Moreira da Silva terão “todas as condições logísticas e operacionais” para contactarem com os militantes na deslocação à região autónoma.


“Isso não tem nenhum problema. Nós somos um partido democrático”, realçou.


As eleições diretas no PSD estão marcadas para 28 de maio e o congresso para o primeiro fim de semana de julho, de 01 a 03, no Porto.


O antigo líder da bancada social-democrata Luís Montenegro e o antigo vice-presidente do partido Jorge Moreira da Silva disputam a presidência do partido.


O atual presidente, Rui Rio, já anunciou que deixará a liderança após o congresso do Porto, na sequência da derrota nas legislativas de 30 de janeiro, em que o PS conseguiu maioria absoluta.



DC // VAM



Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário