03 Dezembro 2021, 04:54

PSD: “Quando me picam eu vou melhor” – Rui Rio

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Porto, 22 out 2021 (Lusa) — O presidente do PSD admitiu hoje que vai ter de se conter nos debates com o adversário porque está “picado” e lembrou tudo ter feito para agregar o partido e acusando de mentir quem diz o contrário.


“Tenho de me conter um bocadinho porque quando me picam eu vou melhor. E eu estou picado”, afirmou Rui Rio, recandidato à liderança do PSD, aos jornalistas quando questionado sobre se estará disponível para debates com o adversário Paulo Rangel.


Após um discurso de 15 minutos, com muitas pausas devido às palmas que o interrompiam numa sala cheia de um hotel do Porto, onde decorreu a apresentação pública da sua candidatura, Rui Rio acusou os que dizem que não quis agregar o partido de faltarem à verdade. “Como vou resolver as divisões internas? Seguramente não em período pré-eleitoral, mas em período pós-eleitoral. Vou ter a mesma atitude que tive até aqui porque quando dizem que não quero agregar, sabem que é mentira, e eu detesto a mentira e a hipocrisia”, acentuou.


“Eu, a partir da primeira eleição tive um adversário, o doutor Santana Lopes, e a primeira coisa que fiz foi convidá-lo para encabeçar o Conselho Nacional, a segunda coisa foi convidar Paulo Rangel para número dois dessa lista, que não me tinha apoiado nessa altura, a terceira foi convidar para líder parlamentar o doutor Negrão, que tinha sido mandatário de Pedro Santana Lopes, e a quarta foi convidar como cabeça de lista ao Parlamento Europeu Paulo Rangel”, recordou.


E, portanto, o social-democrata reforçou que “tudo fez” para agregar, acrescentando que só pode agregar quem quer ser agregado.


Rui Rio anunciou publicamente a sua candidatura, no Porto, exatamente uma semana depois de o eurodeputado Paulo Rangel ter apresentado a sua, em Lisboa.


Até agora, Rui Rio e Paulo Rangel são os dois únicos candidatos anunciados às eleições diretas para presidente da Comissão Política Nacional do PSD, marcadas para 04 de dezembro (com uma eventual segunda volta no dia 11, caso nenhum dos candidatos obtenha mais de 50% dos votos, o que só poderá acontecer se existirem pelo menos três).



SVF (SMA) // JPS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário