13 Maio 2022, 16:06

Putin envia condolências a Cuba pelas 22 mortes provocadas por explosão em hotel

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Moscovo, 07 mai 2022 (Lusa) — O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, transmitiu hoje as condolências ao homólogo cubano, Miguel Díaz-Canel, após a explosão que destruiu um hotel de luxo no centro da capital cubana que causou, pelo menos, 22 mortos.


“Receba as minhas condolências em relação às trágicas consequências da explosão no hotel Saratoga, em Havana. Peço que transmita as minhas palavras de compaixão e apoio às famílias e parentes das vítimas e os desejos de rápidas melhoras a todos os feridos”, disse Putin, citado pelo Kremlin.


Pelo menos, 22 pessoas morreram e outras 64 ficaram feridas, algumas com extrema gravidade, após uma forte explosão causada por uma fuga de gás num hotel de luxo no centro de Havana nesta sexta-feira.


A presidência cubana informou na rede social Twitter que entre as vítimas mortais há um menor e uma mulher grávida e, entre os feridos, há 14 crianças, três em estado crítico e dois em estado grave.


Estes números não são definitivos e poderão subir nas próximas horas, à medida que avança a remoção dos escombros do Saratoga, hotel emblemático do centro histórico de capital cubana.


O Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, que se dirigiu rapidamente para o local, destacou que se tratou de um “infeliz acidente” e descartou que tenha sido uma bomba ou um atentado e acrescentou que as investigações preliminares apontam para uma fuga de gás.


Miguel Díaz-Canel indicou ainda que foi criada uma comissão de investigação e também foi ativado um plano para atender as famílias das vítimas e os moradores dos 17 edifícios residenciais atingidos pela explosão.


O ministro do Turismo, Juan Carlos Garcia Granda, assegurou que entre os feridos não há estrangeiros e, até ao momento, não foram divulgados detalhes sobre as vítimas mortais.


A explosão ocorreu minutos antes das 11:00 da manhã, quando um camião cisterna de gás liquefeito abastecia um tanque do hotel. A tese mais provável para a explosão é que terá sido uma fissura da mangueira do camião.


A explosão provocou o colapso de uma parte do prédio de sete andares e fez com que a fachada dos três primeiros andares caísse, causando uma chuva de toneladas de escombros sobre uma calçada que, habitualmente, é muito movimentada. O camião cisterna ficou parcialmente soterrado.



IYN // CC


Lusa/FIm

Sem comentários

deixar um comentário