28 Setembro 2021, 15:21

Quase esgotado apoio de 1ME para compra de bicicletas em 2021

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Barcelos, Braga, 03 jun 2021 (Lusa) — O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, disse hoje que está “praticamente esgotado” o montante de um milhão de euros reservado este ano para apoiar a compra de bicicletas convencionais, elétricas e de carga.


“Começámos por 250 mil euros, passámos para 400 mil, este ano atingimos um milhão e esse montante já está praticamente esgotado”, disse o governante, que abriu em Barcelos, distrito de Braga, o 17.º Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”.


Num país consolidado como primeiro produtor europeu de veículos de duas rodas sem motor, Eduardo Pinheiro acrescentou que a sua ambição “é reforçar estes apoios, seja na compra de bicicletas convencionais, seja nas elétricas e, sobretudo, numa aposta em bicicletas de carga”.


Estes apoios enquadram-se numa estratégia já divulgada e com prazo mais dilatado, de promoção do transporte em veículos não poluente, através do programa Portugal Ciclável, que prevê compromissos de 300 milhões de euros até 2030.


O desejo do Governo é multiplicar vias específicas ou, onde isso não seja possível, criar condições para melhor conciliar o uso de vários modos de transporte, sobretudo em meio urbano.


Mas, para tal, é necessário empenho das autarquias, salientou o secretário de Estado.


“Independentemente da dimensão dos centros urbanos, é aqui que vamos vencer, ou não, este combate das alterações climáticas. Portanto, é aqui que temos a grande aposta”, observou.


Escudado na sua experiência de antigo autarca, acrescentou que decisões sobre a mobilidade urbana são difíceis porque geram sempre polémica.


“É preciso coragem para tomar medidas”, alertou.


O 17.º Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”, que decorre até sábado em Barcelos, começou hoje, Dia Mundial da Bicicleta, numa sessão em que os participantes puderam ver e ouvir uma mensagem vídeo do Presidente da República em que defendeu que “o futuro da bicicleta e das cidades passa pela coabitação e pela coexistência”.


As bicicletas, sublinhou Marcelo Rebelo de Sousa, “invadiram de repente as cidades esvaziadas de carros pelos confinamentos e pelas restrições de mobilidade, criaram novos hábitos, novas necessidades, novas formas de ver e de gozar a vida urbana”.


Iniciativa sob o lema “A era da infraestrutura” e que se propõe debater a mobilidade ativa, o congresso é organizado pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores da Bicicleta e sua congénere espanhola ConBici, em parceria com o município de Barcelos.



JGJ // PJA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário