24 Outubro 2021, 17:47

Quatro palestinianos mortos em confrontos com exército israelita

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Jerusalém, 26 set 2021 (Lusa) — Quatro palestinianos morreram hoje em confrontos com o exército israelita na Cisjordânia ocupada, segundo o ministro da Saúde palestiniano e o exército israelita.


O exército israelita afirmou que os confrontos decorreram em locais diferentes, durante “uma operação destinada a desmantelar uma célula terrorista do (movimento islamita) Hamas”.


O ministro da Saúde palestiniano precisou que uma das mortes ocorreu na aldeia de Burquin, perto de Yenín, enquanto as outras tiveram lugar nos arrededores de Ramala.


Um porta-voz militar disse à Efe que os quatro mortos eram milicianos do grupo islamita Hamas e que estavam a planear ataques contra israelitas.


Apesar de o exército israelita não fornecer detalhes sobre os confrontos, a agência oficial de notícias palestiniana Wafa indicou que pelo menos duas operações de detenção aconteceram esta madrugada.


Numa delas, em Burquin, um jovem de 22 anos, identificado como Osama Yaser Soboh, foi atingido por disparos das forças israelitas durante confrontos com residentes locais, que se manifestavam contra a operação de detenção.


O incidente em Bidu ocorreu no âmbito de uma segunda rusga, na qual, também segundo a agência Wafa, forças de segurança israelitas rodearam uma casa, lançaram granadas e dispararam para o interior.


Os media israelitas informaram que tanto na rusga em Burquin como em Bidu, palestinianos abriram fogo contra as tropas israelitas, que responderam com disparos.


Em comunicado divulgado hoje, o Hamas atacou a Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), que governa a Cisjordânia, e disse que estas mortes são resultado da sua cooperação com Israel em matéria de segurança e das últimas reuniões que as suas autoridades tiveram, incluindo o presidente, Mahmud Abás, com responsáveis israelitas.


Por seu lado, o primeiro-ministro israelita, Naftali Benet, que se encontra a caminho de Nova Iorque, referiu-se aos confrontos de hoje e sublinhou a resposta das forças de segurança contra “terroristas do Hamas, que se dispunham a levar a cabo um ataque”.


As quatro mortes de hoje seguem-se à de um manifestante palestiniano no norte da Cisjordânia, durante um protesto contra a construção de um colonato israelita.


No mês passado ocorreu um episódio semelhante ao de hoje, em que polícias de fronteiras israelitas mataram quatro palestinianos durante confrontos armados em Yenín, também durante uma rusga.



AH // JNM


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário