05 Julho 2022, 02:26

Recuperados corpos de dois jesuítas mortos numa igreja do México

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Cidade do México, 23 jun 2022 (Lusa) — A governadora do estado de Chihuahua, no norte do México, Maru Campos, anunciou que foram encontrados os corpos dos dois idosos jesuítas mortos numa igreja, onde um homem tentava escapar de agressores armados.


“Conseguimos localizar e recuperar [os corpos] dos padres jesuítas”, Javier Campos Morales, de 79 anos, e Joaquín César Mora Salazar, de 80, disse a governadora, num vídeo publicado nas redes sociais na noite de quarta-feira.


O Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, confirmou, na quarta-feira, que o alegado assassino foi identificado e é agora procurado pelas autoridades, que oferecem uma recompensa de 250 mil dólares (237 mil euros) para qualquer informação que leve à detenção do suspeito.


Trata-se de um homem de 30 anos, José Noriel Portillo, já procurado pelo homicídio de um turista norte-americano em 2018, noticiou a imprensa local.


O papa Francisco lamentou na quarta-feira a morte dos dois jesuítas e do homem, identificado como guia turístico, que procurou refúgio dentro de uma igreja na vila de Cerocahu, nas remotas montanhas de Chihuahua.


O papa, que pertence à Companhia de Jesus, expressou “tristeza e consternação”.


“Tantos assassínios no México. Estou próximo, em afeto e oração, da comunidade católica afetada por esta tragédia”, disse Francisco, reiterando que “a violência não resolve problemas, mas aumenta o sofrimento desnecessário”.


A Companhia de Jesus pediu “medidas de proteção”, sublinhando que o ataque de segunda-feira não foi um “ato isolado”, já que “todos os dias homens e mulheres são assassinados arbitrariamente” no México.


A Conferência Episcopal do México também condenou “a tragédia”, pedindo “uma investigação rápida”, bem como mais segurança para os religiosos do país.


Especialistas disseram que as montanhas de Chihuahua são uma rota de contrabando de drogas para os Estados Unidos, uma rota disputada por cartéis de drogas.


Membros de várias ordens religiosas estão a tentar, em algumas regiões do México, atuar como mediadores entre os moradores e os grupos de crime organizado.


Nos estados de Michoacán (oeste) e Guerrero (sul), alguns clérigos contam com o diálogo com traficantes de drogas para pacificar essas regiões.


Trinta padres foram assassinados na última década no México, de acordo com a organização não-governamental Centro Católico Multimedial.



VQ // EJ


Lusa/Fim

Tags

Sem comentários

deixar um comentário