08 Dezembro 2021, 16:34

REN prevê investir 40 ME para preparar a rede de gás para hidrogénio

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 14 mai 2021 (Lusa) – A REN prevê investir 40 milhões de euros até 2024 para a compatibilização da rede de gás com a injeção de hidrogénio, que faz parte da estratégia nacional de acelerar a transição energética, disse hoje o administrador João Conceição.


A REN prevê investir até 900 milhões de euros até 2024, o que representa um investimento anual de até 220 milhões de euros, um aumento de cerca de 45% face aos últimos anos, foi hoje comunicado ao mercado.


Deste montante, a gestora das redes energéticas (eletricidade e gás natural) prevê alocar cerca de 40 milhões ao hidrogénio.


“Temos em concreto e para o horizonte desta estratégia um investimento de 40 milhões de euros, dos quais 15 milhões estão associados a projetos na rede de gasodutos e 25 milhões de euros na concessão da REN armazenagem, para o Carriço”, precisou o administrador executivo da REN, em conferência de imprensa, após a apresentação do plano estratégico 2021-24.


Segundo João Conceição, o investimento na armazenagem de gás está relacionado “com uma necessidade de fazer ‘upgrades’ nos motores e compressores para tornar a infraestrutura compatível”, enquanto “na rede está muito relacionado com intervenções pontuais na infraestrutura, um grande cuidado em termos de inspeções para este arranque de até 5% de incorporação até 2025”.


Segundo o administrador, é necessário “acompanhar os níveis [de hidrogénio] ao longo de toda a rede – não pode ser 5% em média, é importante garantir que os níveis de incorporação são os mesmos ao longo de toda a infraestrutura”.


Na apresentação do plano estratégico 2021-24, a empresa liderada por Rodrigo Costa anunciou um “aumento de 45% do CAPEX médio anual (doméstico e internacional), comparativamente ao período 2018–2020, ultrapassando os 900 milhões de euros até 2024”.


Em média nos últimos três anos, a empresa gestora das redes energéticas (eletricidade e gás natural) investiu 156 milhões de euros (maioritariamente em Portugal) e agora quer elevar o valor para entre 190 e 220 milhões de euros.


De acordo com o comunicado da REN – Redes Energéticas Nacionais, o investimento nos próximos anos “será feito na ligação à rede de projetos de energia renovável, no reforço da qualidade e resiliência da atual rede e na preparação da compatibilização da rede de gás com a injeção de gases de origem renovável, nomeadamente o hidrogénio”.



JNM // EA


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário