13 Maio 2022, 08:11

Retrato de Marilyn Monroe por Andy Warhol alcança valor recorde em leilão

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Nova Iorque, Estados Unidos da América, 10 mai 2022 (Lusa) — A obra “Shot Sage Blue Marilyn”, de Andy Warhol (1928-1987), foi vendida em leilão, na segunda-feira, por 195 milhões de dólares (184,7 milhões de euros), tornando-se na peça do século XX mais cara de sempre.


Vendida num leilão da Christie’s, em Nova Iorque, a um comprador desconhecido, a icónica peça do artista norte-americano tinha uma estimativa inicial de 200 milhões de dólares e ultrapassou o anterior recorde do século XX, detido por Pablo Picasso (1881-1973), com a obra “Les Femmes d’Alger (versão 0)”, que chegou a 179,4 milhões de dólares (169,7 milhões de euros), em 2015.


O recorde absoluto, para lá do século XX, em leilão permanece com “Salvator Mundi”, atribuído, com alguma disputa, a Leonardo da Vinci, vendido por 450,3 milhões de dólares (426 milhões de euros), em 2017.


O responsável da leiloeira para a arte dos séculos XX e XXI, Alex Rotter, disse, citado em comunicado, que a venda, que tornou Warhol no artista norte-americano mais caro de sempre, “é um testamento à força, energia e entusiasmo generalizado do mercado da arte hoje”.


“Esta venda demonstra o poder de Andy Warhol bem como o legado que continua a deixar no mundo artístico, na cultura popular e na sociedade”, acrescentou.


O leilão da coleção de Thomas e Doris Ammann incluiu 36 lotes e alcançou um valor total de 317,8 milhões de dólares (300,8 milhões de euros), prosseguindo no dia 13, com as receitas a reverterem na íntegra para serviços médicos e educativos para crianças.


Para além de Warhol, também foram atingidos valores recorde para os artistas Mike Bidlo, Ross Bleckner, Francesco Clemente, Ann Craven, Martin Disler e Mary Heilmann.


A serigrafia de Warhol, com um metro, apresenta a atriz norte-americana Marilyn Monroe com o rosto pintado de cor-de-rosa, cabelo amarelo, lábios rubi, e sombra azul nos olhos.


Andy Warhol, considerado o pai da ´pop art´, produziu quatro obras depois da morte da atriz, em 1962, que ficaram conhecidas como as “Shot Marilyns”, todas do mesmo tamanho, e com fundos de cores diferentes.


“Esta é a pintura mais significativa do século XX a ser leiloada numa geração. Marilyn de Andy Warhol é o auge absoluto do pop americano e a promessa do sonho americano, que reúne otimismo, fragilidade, celebridade e iconografia ao mesmo tempo”, disse Rotter, aquando do anúncio do leilão.


Em 1998, a leiloeira Sotheby’s vendeu a obra com Marilyn sobre fundo laranja por 17 milhões de dólares (15,4 milhões de euros).



TDI (AG) // SB


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário