27 Setembro 2022, 18:51

Satélites Copernicus detetam degradação da qualidade do ar devido a poeira do deserto

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O sistema de vigilância por satélite Copernicus detetou hoje “qualidade do ar degradada” em grandes áreas de Portugal, Espanha e França devido à passagem de uma grande nuvem de poeira do deserto do Saara vinda do norte de África.

A concentração de partículas à superfície deverá atingir 250 microgramas por metro cúbico e até valores mais altos, acima do limite de 50 microgramas por metro cúbico por 24 horas definido como máximo recomendável pela União Europeia.

De acordo com as previsões do serviço de monitorização atmosférica Copernicus, a concentração de poeira deverá estar no pico até quinta-feira.

A Agência Portuguesa do Ambiente previu para hoje um agravamento da “fraca qualidade do ar” provocada pela passagem da poeira.

“Este é um fenómeno que ocorre quando a massa de ar contendo elevadas concentrações de poeiras é transportada a grandes distâncias de regiões áridas e semiáridas”, indica a APA, frisando que “este poluente tem efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, crianças e idosos, cujos cuidados de saúde devem ser redobrados durante a ocorrência destas situações”.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomendou na terça-feira à população que evite esforços prolongados e limite atividade física ao ar livre, devido às nuvens de poeiras que estão a atravessar o continente.

Sem comentários

deixar um comentário