26 Outubro 2021, 18:28

Segunda edição da escola de pastores arranca em junho

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Castelo Branco, 07 mai 2021 (Lusa) – A segunda edição da escola de pastores arranca em junho e surge com uma abrangência maior, em termos de impacto territorial ao nível da região Centro, com a inclusão da Escola Superior Agrária de Coimbra, foi hoje anunciado.


“Esta edição da escola [de pastores] surge numa lógica de continuidade da edição anterior, que funcionou como um projeto piloto. Traz consigo um conjunto de ensinamentos para a aprendizagem e que agora se vê reforçada e materializada nesta segunda edição”, afirmou à agência Lusa a presidente da Inovcluster, Cláudia Domingues Soares.


A segunda edição da escola de pastores já tem as candidaturas abertas, sendo que os interessados podem efetuar a respetiva inscrição até ao dia 24 de maio.


A duração é de 560 horas de formação, 150 de componente teórica e 410 de componente prática e as aulas da escola de pastores realizam-se nas Escolas Superiores Agrárias de Castelo Branco, Viseu e Coimbra.


“Junta-se a esta dinâmica, a Escola Superior Agrária de Coimbra que, em conjunto com as escolas de Castelo Branco e de Viseu, vão dar inicio, já no próximo dia 14 de junho, à componente teórica desta segunda edição”, refere a presidente do Inovcluster.


Cláudia Domingues Soares realça a importância dos formandos obterem sucesso na frequência da escola, visto que se trata “de uma das condições necessárias, não a única, para que posteriormente os empreendedores estejam em condição de concorrer ao vale pastor”.


“Esta edição surge no seguimento do sucesso que foi a primeira e tem agora uma abrangência maior, em termos impacto territorial ao nível da região Centro, com a inclusão da Escola Agrária de Coimbra”, conclui.


O objetivo é capacitar os formandos para a produção de leite destinado ao fabrico de Queijos Serra da Estrela Denominação de Origem Protegida (DOP), Beira Baixa DOP e Rabaçal DOP, de forma mais otimizada, segundo critérios de bem-estar animal, prevenção de riscos ocupacionais, proteção ambiental e segurança alimentar.


Destinada a abranger as três regiões DOP do Centro (Beira Baixa, Serra da Estrela e Rabaçal), a formação tem um total de 36 vagas disponíveis.


O Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro iniciou-se em 01 de janeiro de 2019, envolve um investimento total de 2,7 milhões de euros, sendo que 2,3 milhões correspondem a este programa, financiado em 85% pelo programa Centro 2020, e 428 mil euros dizem respeito à iniciativa Rota Turística e Gastronómica Queijos da Região Centro, financiada em 65% através do Valorizar.


A iniciativa é liderada pela Inovcluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro e junta um total de 14 entidades, entre as quais quatro comunidades intermunicipais (Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Região de Coimbra e Viseu Dão Lafões), cinco associações do setor, três institutos politécnicos (Castelo Branco, Viseu e Coimbra) e o Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior.



CCC // JEF


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário