16 Agosto 2022, 20:41

Seguradora estima que 2021 foi 3.º pior ano de sempre em prejuízos por desastres naturais

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 17 fev 2022 – O ano de 2021 foi o terceiro pior em perdas económicas provocadas por mais de 400 desastre naturais, estima a multinacional de seguros Aon, calculando os prejuízos globais em mais de 300 mil milhões de euros.


A Aon calcula que as cheias de julho que afetaram a Europa central custaram cerca de 39 mil milhões de euros e são o desastre natural com pior impacto económico de sempre no continente.


O mau tempo registado nos meses de maio e junho custou a Espanha e Portugal mais de 131 milhões de euros, calcula a seguradora.


Alemanha, Bélgica, Áustria, Luxemburgo e China foram os países que sofreram os desastre naturais com maiores prejuízos económicos naquele ano, todos provocados por cheias.


Mas a Aon salienta que os Estados Unidos sofreram alguns dos fenómenos meteorológicos mais extremos de sempre em 2021, como o furacão Ida, que provocou perdas equivalentes a 31,5 mil milhões de euros e representou uma das piores perdas de sempre associadas a um único desastre natural.


Em perda de vidas, o pior desastre natural do ano passado foi o terramoto no Haiti, que provocou 2.248 mortes em agosto passado.


Das perdas globais, 288 mil milhões de euros foram perdidos por causa de fenómenos climáticos.


O ano de 2021 registou 401 desastres naturais, menos 15 do que o ano anterior, mas as perdas económicas foram superiores e apenas 38 por cento estavam cobertas por seguros.


Dos fenómenos climáticos, mais de 50 provocaram prejuízos superiores à barreira dos mil milhões de dólares.



APN // SBLusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário