06 Dezembro 2022, 21:11

Seleção de futebol de praia foi “estoica” ante a Suíça, elogia Mário Narciso

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Cagliari, Itália, 11 set 2022 (Lusa) — O selecionador português de futebol de praia, Mário Narciso, elogiou hoje os seus “estoicos” pupilos na derrota por 6-5 ante a Suíça na final da Liga Europeia, lamentando alguma falta de sorte em Cagliari, em Itália.


“Qualquer uma das equipas podia ter ganhado. Há que dar os parabéns aos nossos jogadores porque se bateram estoicamente. Não é fácil jogar contra esta equipa da Suíça que atua praticamente o jogo todo em ‘5×4’, pois tem um guarda-redes que assume bem o jogar fora dos postes”, analisou.


O técnico entende que os portugueses, com uma “entrega extraordinária”, conseguiram resolver essa dificuldade “a maior parte do jogo”, contudo notou que “tanta vez o cântaro vai à fonte que alguma vez parte-se”.


Mário Narciso recorda que os portugueses “nunca viraram a cara à luta”, tendo recuperado de desvantagens de dois golos até igualaram 5-5, a 1.12 minutos do fim, antes de Stankovic sentenciar para os helvéticos, a 38 segundos do ‘gongo’.


“Chegámos ao empate e, depois, num lance infeliz, em que um jogador falha o pontapé de ‘bicicleta’, a bola bate no chão e vai parar a um outro que não costuma falhar oportunidades daquelas. Neste jogo atirámos várias bolas à trave, mas o futebol é mesmo assim. Umas vezes entra a nosso favor, outras não. Parabéns à Suíça”, completou.


Elinton Andrade foi eleito o melhor guarda-redes da competição e Léo Martins arrecadou o troféu de melhor marcador.


“Nós não perdemos, nós aprendemos. Queríamos ter feito história hoje, mas a derrota não nos coloca para baixo. Continuamos a ser a seleção a ser batida e claro que era interessante ganharmos, até para subirmos ao primeiro lugar do ranking”, admitiu Elinton, referindo-se ao desejado e inédito ‘tetra’.


O guarda-redes recordou as muitas competições previstas para 2023 — Mundial, Liga Europeia e Jogos Mundiais — considerando que a inclusão em Itália de atletas mais novos na seleção foi “importante para começar a preparar ao futuro”.


O atleta endereçou os “parabéns à Suíça”, enaltecendo a sua “eficácia”: “Também creio que tiveram um pouco de sorte, a tal sorte de campeão. Merecíamos (ganhar), mas não era o nosso dia hoje”, concluiu.


A Suíça conquistou o seu segundo título europeu, igualando a Itália no historial da Liga Europeia, no qual Portugal soma oito títulos, seguido da Espanha e da Rússia, ambas com cinco. França, Ucrânia e Alemanha contam um, cada.



RBA // JP


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário