07 Dezembro 2022, 20:21

Serralves recebe nova instalação sonora e concerto da britânica Beatrice Dillon

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

A música britânica Beatrice Dillon apresenta, de sábado a 30 de novembro, uma instalação sonora em estreia mundial em Serralves, no Porto, além de um concerto com Kuljit Bhamra, no domingo.

Serralves destaca, em comunicado, que esta instalação sonora da artista residente em Londres é aqui mostrada “em estreia absoluta”.

A obra estará patente no auditório do Museu de Serralves, de sábado a dia 30 de novembro, no regresso de Dillon a Portugal depois de em julho ter estado em Lisboa, no jardim das Galerias Municipais, então também com Bhamra.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



No domingo, pelas 17:30, volta a juntar-se a Kuljit Bhamra, um pioneiro do bhangra, um género musical originário na diáspora punjabi no Reino Unido.

Beatrice Dillon faz da tabla o seu instrumento, incluindo uma nova versão digital que o próprio desenvolveu, e aqui junta-se à eletrónica de Dillon para, segundo Serralves, partilhar “estruturas rítmicas complexas, percussão sintética e acústica”.

Em setembro, uma crítica publicada no jornal The Guardian apelidava a atuação de Dillon e Bhamra como “uma alquimia eletroacústica explosiva”, que embarca “numa odisseia sem palavras de texturas sónicas”.

A britânica Beatrice Dillon é um dos nomes emergentes entre a música eletrónica e a instalação sonora, trabalhando com composição e performance em exposições e atuações ao vivo.

O álbum “Workaround”, lançado em 2020, criado em colaboração com vários músicos, incluindo Kuljit Bhamra, foi considerado o Álbum do Ano pela revista especializada The Wire.

De resto, tem apresentado em salas de espetáculos e galerias de Tóquio a Leuven e Munique, além da Somerset House, no Reino Unido, e outros locais.

Artista residente da Somerset House, esta é a segunda instalação sonora que estreia em 2022, depois de “Impossible Ideal Angle”, na Haus der Kunst (Casa das Artes) em Munique, além do lançamento de uma peça para ensemble e da preparação dos 75 anos do ICA London (Institute of Contemporary Arts), para 2023.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário