06 Dezembro 2022, 21:26

Sindicato espera aposta de Manuel Pizarro na contratação de enfermeiros para o SNS

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) expressou hoje a expectativa de que a nomeação do eurodeputado Manuel Pizarro para ministro da Saúde represente uma aposta na contratação de mais profissionais para o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

“No que diz respeito aos enfermeiros, há uma carência estrutural de enfermeiros em Portugal, que, aliás, o agora ministro da Saúde, Manuel Pizarro, já tinha conhecimento quando foi secretário de Estado da Saúde. Portanto, não é novidade e espera-se, por isso, que possa desenvolver um plano de contratação de profissionais em função daquilo que são as necessidades das instituições”, afirmou a coordenadora do SEP, Guadalupe Simões.

Em declarações à Lusa, a dirigente sindical considerou que a escolha do eurodeputado socialista para suceder a Marta Temido representa “uma decisão política do primeiro-ministro”, mas vincou que o foco do SEP está nas políticas e não nos nomes. Consequentemente, apontou os “vários desafios para solucionar” no SNS e a vontade de ver cumprida a Lei de Bases da Saúde.

“O SNS é o pilar da oferta de cuidados de saúde em Portugal e pode, temporariamente e supletivamente, recorrer ao setor social e ao setor privado. Está confrontado com problemas de carência de profissionais de saúde dos vários setores e, principalmente, com a dificuldade em reter os profissionais do SNS. O que se exige é o início de negociações de valorização das carreiras, por forma a garantir a retenção desses profissionais”, afirmou.

A terminar, Guadalupe Simões disse esperar que o processo negocial em curso com o Ministério da Saúde cumpra o calendário definido e, apesar de desejar “o melhor trabalho para o futuro ministro, deixou um aviso.

“Sabemos o que exigimos e o que exigimos é a defesa do SNS. Cá estaremos para continuar a defender o SNS, caso as políticas do Governo prosseguidas pelo futuro ministro não se coadunem com aquilo que nós entendemos que deve ser a defesa do SNS e a defesa daquilo que está inscrito na Lei de Bases da Saúde”.

Guadalupe Simões apelou para que “exista disponibilidade para sentar à mesa os parceiros no sentido de encontrar as melhores soluções”.

O primeiro-ministro, António Costa, propôs hoje ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação do eurodeputado socialista Manuel Pizarro para o cargo de ministro da Saúde, em substituição de Marta Temido.

“Na sequência da proposta do primeiro-ministro, o Presidente da República conferirá posse sábado ao novo ministro da Saúde, Manuel Francisco Pizarro de Sampaio e Castro, pelas 18:00, no Palácio de Belém”, lê-se na nota oficial publicada na página oficial da Presidência da República.

Manuel Pizarro, médico, especialista em medicina interna, foi secretário de Estado da Saúde nos dois executivos liderados por José Sócrates, entre 2008 e 2011.

Sem comentários

deixar um comentário