04 Dezembro 2021, 05:35

Sindicatos não aceitam “imposição ditatorial” na Groundforce

mundoatual AdministratorKeymaster

É caso para perguntar se o Grupo PASOGAL/ex-Urbanos (accionista privado e maioritário da empresa) fugiu ou se encontra em parte incerta, porque a última vez que terá sido visto foi na recolha dos seus lucros, desconhecendo-se o seu paradeiro desde então.

Os Sindicatos dos Trabalhadores dos Transportes da Área Metropolitana do Porto (STTAMP) e o Sindicato dos Trabalhadores dos Aeroportos Manutenção e Aviação (STAMA) estiveram reunidos com o Ministério das Infraestruturas e Habitação para “manifestar as preocupações relativamente à Groundforce”, empresa onde se “agravam os problemas financeiros e de tesouraria”.

A Groundforced “encontra-se neste momento em incumprimento no pagamento a trabalhadores (subsídios de férias) e a fornecedores”, com os sindicatos a denunciarem que os “accionistas da empresa pura e simplesmente desapareceram, como que por magia, em franco contraste com a época pré-covid”.

“É caso para perguntar se o Grupo PASOGAL/ex-Urbanos (accionista privado e maioritário da empresa) fugiu ou se encontra em parte incerta, porque a última vez que terá sido visto foi na recolha dos seus lucros, desconhecendo-se o seu paradeiro desde então”, referem os sindicatos, em comunicado, acrescentando: “Também a TAP e PGA que no conjunto, representam 49,9% do capital da Groundforce, optam por um esquema de chantagem, exigindo para a Groundforce um restruturação semelhante ao que a companhia aérea será sujeita, a que nos opomos veementemente”.

Na reunião, realizada ontem, os sindicatos deixaram claro à tutela que não aceitam “qualquer tipo de imposição ditatorial” e sublinharam que “os aviões não voam sozinhos”.

Os dirigentes sindicais recordam ainda que a “Groundforce tem sido uma empresa que regista lucros em anos consecutivos e, desde o início da pandemia Covid-19, foram mais de 1000 os trabalhadores que perderam os seus empregos”.

 

Último comentário

  • Uma vergonha, a groundforce teria uma saúde financeira muito boa se não tivesse ligado ao sistema de corrupção que existe ( legal ).
    Uma empresa criada dentro de outra empresa para poder se fazer as coisas que se fazem…
    dediquei muito de mim as empresas que se falam, fiz o que me era por direito fazer e fiz o que pouco era a minha obrigação, mas por quer mais e desejar o bem das empresas que falo o fiz…
    Custa ver de fora a destruição de uma empresa que para muitos não passava de uma empresa familiar, que dava trabalho aos filhos , as os netos e afilhados de famílias , dos ladroes secos e mais nomes que já apelidaram…
    Mas se esquecem que dali saiu muito boa gente para outras áreas do ramo com cargos importantes, se formaram famílias , se criaram melhores seres humanos , uma classe social suportável e de fácil adaptação ao meio que vivemos.
    Ao papel importante que se tem ao próprio desenvolvimento do país , passageiros, na alimentação, nos medicamentos entre outras coisas que fazíamos possíveis todos os dias transportar…
    estaria aqui muito tempo a descrever a situação e a revolta que em lágrimas me fazem hoje pensar assim…
    desejo neste momento boa sorte a todos que de la ainda fazem vida e se sustentam

deixar um comentário