27 Setembro 2022, 17:11

Sismo provoca anomalias nas centrais nucleares de Fukushima

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O operador das centrais nucleares de Fukushima I e II informou hoje que o terramoto na região provocou a ativação de um alarme de incêndio e a interrupção de um sistema de refrigeração, estando a analisar a situação.

O alarme de incêndio foi ativado após o tremor no prédio do reator cinco da central Fukushima Daiichi (Fukushina I), que está inativo desde antes da crise nuclear de 2011, enquanto a falha do sistema de refrigeração afeta as piscinas onde o combustível atómico usado é armazenado na central Daiini (Fukushima II).

A agência reguladora nuclear japonesa disse à cadeia estatal de televisão NHK que não foi detetado qualquer aumento na radioatividade nas centrais ou nas suas proximidades até agora e disse que o operador das centrais tem um plano para resolver o problema de arrefecimento de combustível, o que deverá acontecer em breve.

Um terramoto de magnitude 7,3 abalou hoje a costa de Fukushima, no norte do Japão, desencadeando um alerta de tsunami, anunciaram as autoridades japonesas.

A Agência Meteorológica do Japão disse que o foco do sismo se situou 60 quilómetros abaixo da superfície, embora outra fonte, o Sistema de Alertas de Tsunamis do Pacífico, refira 30 quilómetros.

A região faz parte do norte do Japão que foi devastado por um terramoto de 9,0 de magnitude, seguido de tsunami, que também causou um desastre nuclear em 2011.

Sem comentários

deixar um comentário