29 Setembro 2022, 17:06

Startup portuguesa «troca» cinzas por diamantes e muda o conceito de luto

A Cre-mar é uma startup nacional que transforma cinzas fúnebres em diamantes. A empresa, que venceu o prémio Road2WebSummit, está a funcionar desde finais de 2021 e conta já com uma lista de espera extensa para este serviço, cujo prazo de execução é de cerca de oito meses. Para além desta valência, a Cre-mar – que aposta em materiais ecológicos de forma a garantir a sustentabilidade ambiental – disponibiliza, ainda, um serviço inovador de cremação direta, totalmente «online».

As memórias de quem parte podem, agora, eternizar-se através de uma pedra preciosa que resulta de um processo de transformação molecular das cinzas biológicas – o diamante de memorial certificado.
A Cre-mar é a única em Portugal, e uma das poucas a nível mundial, a fazê-lo. A produção de um diamante demora entre seis a oito meses e a startup conta, já, com quase três dezenas de pedidos.

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



“A alteração molecular do carbono gera um grafito que resulta numa pedra preciosa”, explica, ao Mundo Atual, o CEO, Vítor Oliveira, salientando que o método científico pode ser comparado ao processamento de ADN, paralelamente ao que acontece na recolha de células estaminais.

Diversidade de cores em vários quilates

Até aqui, a empresa trabalhou com um parceiro suíço, cuja técnica científica de transformação resultava, sempre, em diamantes de cor azul, com tonalidades que variavam entre os mais escuros e os mais claros. Agora, em nova parceria com uma empresa norte-americana, cada ADN irá resultar em diversas colorações “do amarelo ao laranja avermelhado, passando pelo azul e outras”, refere o responsável, que antevê o encurtamento do prazo de execução e a redução dos preços do serviço.

As tonalidades e intensidades de cor resultam da composição molecular de cada um, sendo que “todos geramos diamantes diferentes, dependendo do ADN”. Quanto ao tamanho, a pedra pode ir dos 0.20 até 1.0 quilates

As tonalidades e intensidades de cor resultam da composição molecular de cada um, sendo que “todos geramos cores diferentes, dependendo do ADN”.
Quanto ao tamanho da pedra, esse será determinado por quem solicita o pedido, dependendo de quanto quer «desembolsar». Quanto maior for a pedra – que pode ir dos 0.20 até 1.0 quilates – mais elevado será o preço.
Podem, ainda, ser escolhidos os cortes – que variam entre coração, brilhante ou princesa – e os respetivos suportes, inspirados em artesãos joalheiros de renome, com opções que vão desde anéis a fios de prata, ouro ou platina. Na opção sem corte, as pedras são simples, não sofrendo a «lapidação» necessária à sua integração em estrutura de encaixe.

Serviço de cremação direta, «online» e sem cerimónias

Para além da transformação de cinzas em diamantes, a Cre-mar disponibiliza um serviço de cremação totalmente «online», com preço único e cem por cento reembolsável, que pode ser solicitado em permanência.
Este é efetuado de forma rápida, eficaz e económica, minimizando a burocracia e zelando pela simplificação do processo, no difícil momento de perda de um ente querido.
“Desde o contacto, colocamos as cinzas em casa do cliente até 72 horas”, refere o CEO, explicando que a empresa faz a recolha do corpo no local e efetua o transporte para o Instituto de Medicina Legal ou hospital mais próximo, onde aguardará a cremação.
A Cre-mar trata, ainda, da documentação e de todo o processo burocrático, fazendo chegar, posteriormente, a urna à morada ou local designado.
“Ao longo do processo tudo é tratado com a maior dignidade”, garante. Para o utilizador, a simplificação é uma vantagem e, para quem prefere dispensar a cerimónia fúnebre e o velório, esta apresenta-se como a melhor solução.

Curiosidades sustentáveis

  • Na sua apresentação no WebSummit 2021, a startup conquistou o primeiro lugar, entre as cem empresas nacionais com maior potencial de sucesso;
  • No sentido de concretizar os três pilares da sustentabilidade – económico, social e ecológico – a startup aposta em urnas biodegradáveis (1 árvore = 100 urnas) e irá disponibilizar, a curto prazo, a cremação à base de água (hidrólise alcalina) e o eco-funeral;
  • Uma das novidades que pretende, ainda, apresentar em breve é a possibilidade de contratação do serviço de cremação, sem custos (mediante uma taxa simbólica), sendo que a totalidade do pagamento será efetuado por uma instituição bancária que, posteriormente, receberá a quantia diretamente da Segurança Social;
  • Os serviços da Cre-mar estão disponíveis em Viana do Castelo, Braga, Porto, Coimbra e Santarém, e serão, brevemente, alargados a Lisboa e, posteriormente, ao Algarve;
  • A pensar na internacionalização, a empresa irá partir à conquista do mercado europeu.

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

Sem comentários

deixar um comentário