29 Junho 2022, 23:43

Timor-Leste/Eleições: Mais votos nulos que em dez candidatos concorrentes, abstenção caiu

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Díli, 22 mar 2022 (Lusa) — O número de votos nulos depositados nas urnas, na primeira volta das presidenciais timorenses, no sábado, foi superior ao número de votos recolhidos por dez dos 16 candidatos, de acordo com dados oficiais das autoridades eleitorais.


Os dados do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) indicam que os boletins nulos foram 1,91% do total dos votos expressos (12.706), mais do que a votação individual de dez candidatos.


Em termos de votos em branco, o STAE registou 3.676 boletins, ou 0,55% dos votos, mais do que o apoio individual que registaram os seis candidatos com piores resultados.


A primeira volta, ganha pelo antigo Presidente timorense José Ramos-Horta com 46,58% dos votos, contra os 22,16% obtidos pelo atual chefe de Estado, Francisco Guterres Lú-Olo, mostrou também uma queda na abstenção.


No sábado votaram 75,28% dos eleitores, com a taxa de abstenção a fixar-se nos 24,72%, abaixo dos 26,88% registados há cinco anos, mas ainda assim mais elevada que nas três presidenciais anteriores: 15,17% em 2002, 18,84% em 2007 e 21,8% em 2012.


A Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno (RAEOA) registou a taxa de abstenção mais elevada no país (26,08%), enquanto Aileu, a sul de Díli, foi a mais baixa, 14,86%.


Na diáspora, a abstenção foi mais elevada do que a participação nestas presidenciais.


Na terceira candidatura ao cargo, José Ramos-Horta, apoiado pelo líder histórico Xanana Gusmão logo à primeira volta, obteve o melhor resultado de sempre, registando a vitória mais expressiva nas três eleições em que houve segunda volta (2007, 2012 e 2022).  


Francisco Guterres Lú-Olo, na quarta candidatura à presidência, obteve o pior resultado de sempre na primeira volta, excluindo o escrutínio há cinco anos, quando foi eleito, e contou com o apoio de Xanana Gusmão.


Ramos-Horta foi o mais votado em nove municípios e na RAEOA, enquanto Lú-Olo venceu nos municipios de Baucau e Viqueque e o candidato Lere Anan Timur no de Lautem.


Depois do fecho do escrutínio no STAE, o processo passou agora para a Comissão Nacional de Eleições (CNE), que iniciou o processo de confirmação dos dados e, particularmente, de resolução dos 437 votos reclamados, boletins sobre os quais não houve concordância na atribuição, na mesa de voto.


Terminado este processo, que pode demorar até 72 horas, os resultados finais terão que ser certificados pelo Tribunal de Recurso.


Ramos-Horta (47,58%, 301.481 votos) e Lú-Olo (22,16%, 143.408) vão disputar a segunda volta das presidenciais, marcada para 19 de abril.


Os restantes candidatos obtiveram os seguintes resultados: Armanda Berta dos Santos (8,7%, 56.289), Lere Anan Timur (7,57%, 48.959), Mariano Assanami Sabino (7,26%, 47.008), Anacleto Ferreira (2,02%, 13.059), Martinho Gusmão (1,31%, 8.485), Hermes da Rosa Correia Barros (1,23%, 7.958), Milena Pires (0,82%, 5.335), Isabel Ferreira (0,64%, 4.165), Felisberto Araújo Duarte (0,4%, 2.615), Constâncio Pinto (0,38%, 2.474), Rogério Lobato (0,31%, 2.028), Virgílio Guterres (0,26%, 1.685), Antero Bendito da Silva (0,24%, 1.531), Ângela Freitas (0,11%, 692).


 


ASP // EJ


Lusa/Fim


 

Sem comentários

deixar um comentário