24 Setembro 2021, 09:37

Transtejo/Soflusa com paralisações na quarta e quinta-feira durante plenários dos trabalhadores

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 21 jun 2021 (Lusa) — O serviço de transporte da Transtejo/Soflusa (TTSL), responsável pelas ligações fluviais entre Lisboa e Setúbal, vai sofrer paralisações na quarta e quinta-feira, no âmbito dos plenários dos trabalhadores, anunciou hoje a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).


“Os trabalhadores da Soflusa/Transtejo reúnem em plenário no próximo dia 23 [quarta-feira], das 10:00 às 12:00, e dia 24 [quinta-feira], das 14:30 às 17:30, respetivamente, com paralisação das carreiras fluviais”, indicou a FECTRANS.


Em comunicado, a Federação adiantou que os plenários dos trabalhadores vão servir para fazer “o balanço das lutas até agora desenvolvidas e como continuar a mobilização pela revisão dos Acordos de Empresa”.


Na semana passada, nos dias 16 e 17 de junho, os trabalhadores da TTSL estiveram em greve parcial, de três e duas horas por turno, por a empresa manter a sua posição de “aumento de 0%” nas negociações salariais, depois de uma primeira luta em 20 de maio.


Nesses dois dias, a adesão dos trabalhadores à greve, no período da manhã, rondou os 65%, de acordo com informação da empresa.


A TTSL, que junta as duas empresas de serviço público de transporte fluvial (com uma administração comum), referiu que a adesão na Transtejo foi na ordem dos 60% e na Soflusa rondou os 70% e foram cumpridas as carreiras de serviços mínimos decretadas pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social (CES) para as ligações fluviais do Barreiro e de Cacilhas.


Em 28 de abril, os trabalhadores da TTSL concordaram em fazer “paralisações de três horas” por turno a partir de 20 de maio, caso não houvesse respostas às reivindicações salariais.


A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão, no distrito de Setúbal, e Lisboa, enquanto a Soflusa é responsável por ligar o Barreiro à capital.



SSM (RCP) // VAM



Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário