06 Julho 2022, 23:20

Treinador do Benfica diz que segundo lugar “é complicado, mas é possível”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Seixal, Setúbal, 22 abr 2022 (Lusa) — O treinador do Benfica acredita que a sua equipa pode nas quatro jornadas que faltam da I Liga de futebol tirar o Sporting do segundo lugar, mas frisa a importância de manter o foco no duelo de sábado com o Famalicão, da 31.ª jornada.


Em conferência de imprensa, no Seixal, Nélson Veríssimo lembrou a importância da ronda anterior em que as ‘águias’ foram ganhar (0-2) ao estádio dos ‘leões’, que têm neste momento uma vantagem de seis pontos na classificação.


“Estávamos a nove pontos do Sporting, agora estamos a seis. Continuamos a não depender só de nós para chegar à segunda posição. Sabemos que é complicado, mas é possível. Temos de estar a um nível muito grande para conseguir isso”, sublinhou.


Questionado sobre a possibilidade de o Benfica tirar na reta final da competição partido do momento psicológico menos positivo do Sporting, o técnico lembrou o desafio que lançou aos seus jogadores antes do confronto no Estádio de Alvalade.


“Não sei qual o momento psicológico do Sporting. Sabemos que antes do jogo com o Sporting tínhamos lançado o desafio de ganharmos todos os pontos nos cinco jogos que tínhamos pela frente. Neste momento estão 12 pontos por disputar e vamos entrar em todos para tentar ganhá-los. Sabemos que não jogamos sozinhos e vamos ter uma oposição muito forte”, antevê.


O primeiro obstáculo na caminhada dos benfiquistas chama-se Famalicão, oponente que Nélson Veríssimo elogia, apesar de estar a lutar pela permanência na I Liga.


“Vamos receber uma equipa que está numa posição difícil na tabela classificativa. Sabemos se não tivermos num nível alto as coisas podem-se complicar. Temos de ter uma mentalidade competitiva muito forte”, alerta.


O treinador já identificou os principais perigos que o conjunto famalicense pode criar no Estádio da Luz.


“O Famalicão é uma equipa que gosta de ter a posse de bola e gosta de assumir o jogo se o adversário o deixar. Na sua organização defensiva, também gosta de ter o seu bloco subido e pressionante. Independentemente da classificação, não abdicam dos seus princípios de jogo”, disse.


Na partida deste sábado, Rafa volta a não poder dar o contributo à equipa, revelou o treinador dos benfiquistas.


“Infelizmente, ainda não vai estar disponível amanhã [sábado]. Teve uma lesão muscular e estávamos a tentar recuperá-lo. Não sei quando irá regressar. O Rafa é um jogador importante, mas essa importância é extensível a todos os jogadores do plantel. A prova disso é que quem teve oportunidade de jogar deu boa resposta. O caso mais flagrante foi o Gil Dias que não tinha tido uma utilização tão regular e acabou por ter com o Liverpool e Sporting, jogo em que fez o segundo golo. Significa que todos contam e têm de demonstrar ao treinador que são uma opção válida”, vincou.


O facto de o Benfica ter no seu plantel Darwin Nuñez, melhor marcador do campeonato, com 27 golos, representa um conforto porque o treinador sabe que o avançado uruguaio não precisa de incentivo para continuar a ‘faturar’.


“Como incentivá-lo? É deixá-lo jogar. O melhor incentivo é continuar a fazer golos. É um grande jogador e tem vindo a crescer muito desde o tempo em que chegou aqui. Tem materializado o seu crescimento em golos. Está na mó de cima e vamos ver o que pode fazer até ao final. É o melhor marcador da Liga e tem muita fome de golo e ninguém pode levar a mal por isso. Esperemos que termine como melhor marcador da Liga”, referiu.


Numa altura em que o pouco tempo útil de jogo no futebol português e as simulações de faltas dos jogadores estão cada vez mais na ordem do dia, Nélson Veríssimo tem uma posição clara sobre um problema que está enraizado no futebol nacional.


“É a algo que nos preocupa e tem de preocupar a todos os agentes do futebol, nomeadamente treinadores e jogadores. É uma questão cultural e de conseguirmos mudar a nossa cultura e mentalidade. Não acontece de um dia para o outro. Há uma forma de o árbitro controlar isso. Em vez de dar dois, três ou quatro minutos de compensação dá seis, sete, oito, nove ou 10 minutos. Quanto às simulações dos jogadores, temos o VAR, que é uma ferramenta que podemos utilizar”, disse.


Questionado sobre o seu futuro, o treinador assegura que o triunfo obtido no dérbi diante dos sportinguistas não mudou a sua opinião.


“Isso não é questão. No final do jogo com o Sporting, referi que as coisas não mudam. Entrámos com o objetivo de levar a equipa até ao final da época. Têm saído muitas notícias, mas não é algo que me preocupe. Temos uma missão, pelo menos, até ao final da época e tudo o resto não é significativo do que é a minha missão aqui”, afirmou.


Apesar de algumas pessoas terem podido mudar de opinião sobre a matéria, Nélson Veríssimo sublinha que o seu foco está apenas no jogo de hoje.


“Quando os resultados são positivos, é natural que o estado de espírito das pessoas se modifique. Temos de ter a certeza e estar convictos do caminho que temos seguido. Neste clube, essas coisas estão muito bem definidas. O nosso foco é claro: focarmo-nos pensar nos quatro jogos que faltam e nos 12 pontos que podemos somar”, referiu.


O atual treinador da equipa principal, que antes de assumir o cargo tinha orientado o Benfica B, fez questão de felicitar o apuramento das ‘águias’, alcançado minutos antes da conferência de imprensa, para a final da UEFA Youth League de futebol, ao vencer a Juventus, por 4-3, no desempate por grandes penalidades, após uma igualdade a dois golos.


“Quero felicitar a equipa que acabou de garantir a passagem à final da UEFA Youth League. Dou-lhes os parabéns e desejo-lhes boa sorte para a final de segunda-feira”, disse.


A partida da 31.ª jornada da I Liga tem início marcado para as 18:00, no Estádio da Luz, com arbitragem de António Nobre (AF Leiria).


A equipa orientada por Nelson Veríssimo segue em terceiro lugar, a seis pontos do Sporting e a 15 do FC Porto, enquanto os famalicenses estão na 13.ª posição, com 29 pontos, três acima do Moreirense (16.º lugar) que permite disputar um ‘play-off’ com o terceiro classificado da II Liga.



RIYP // NFO


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário