14 Maio 2022, 14:46

Ucrânia: CDS-PP considera “desumano e vexatório” condições de acolhimento de refugiados em Setúbal

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Lisboa, 29 abr 2022 (Lusa) – O CDS-PP considerou hoje “desumano e vexatório” haver refugiados ucranianos recebidos em Setúbal por russos alegadamente simpatizantes do regime de Vladimir Putin e o eurodeputado e líder do partido vai dar conhecimento do caso a Bruxelas.


O Conselho Nacional do CDS-PP, que se reuniu esta noite, aprovou por unanimidade uma moção na qual “repudia o conduta descrita e delibera que da mesma seja dado conhecimento à Comissária Europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson”, através do eurodeputado e presidente do partido, Nuno Melo, “para apuramento de todas as responsabilidades e o mais que a propósito sejam justificada”.


A informação foi transmitida à agência Lusa por fonte oficial do partido.


O semanário Expresso noticia hoje que refugiados ucranianos são recebidos na Câmara de Setúbal por russos simpatizantes do regime de Vladimir Putin e que responsáveis pela Linha de Apoio aos Refugiados estão a fotocopiar documentos dos refugiados, entre os quais passaportes e certidões das crianças.


“No atual contexto de guerra, mais do que a relevância política, o facto é desumano e vexatório, indigno de uma democracia ocidental no século XXI, com que o PCP apenas convive por não ter alternativa”, criticam os centristas na moção aprovada pelo órgão máximo do partido entre congressos, que argumentam que “ações desta natureza caem no âmbito das competências da comissária Ylva Johansson, com competência em matéria de migrações e asilo”.


O presidente da Câmara Municipal de Setúbal, André Valente Martins, do Partido Ecologista “Os Verdes”, foi eleito pela lista da CDU (PCP/PEV/ID) nas últimas eleições autárquicas.


Segundo o Expresso, pelo menos 160 refugiados ucranianos já terão sido recebidos por Igor Khashin, antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, e pela mulher, Yulia Khashin, funcionária do município setubalense.


De acordo com aquela publicação, Igor Khashin, líder da Associação dos Emigrantes de Leste (Edintsvo), subsidiada desde 2005 até março passado pela Câmara de Setúbal, e a mulher terão, alegadamente, fotocopiado documentos de identificação dos refugiados ucranianos, no âmbito da Linha de Apoio aos Refugiados da Câmara Municipal de Setúbal.


Igor Khashin e a mulher terão também questionado os refugiados sobre os familiares que ficaram na Ucrânia, mas a Câmara Municipal de Setúbal garante que “nunca foi feita tal pergunta”.


O jornal Expresso refere ainda que Igor Khashin é um dirigente associativo com dupla nacionalidade, que se apresenta como “gestor de projetos”, e que as associações a que terá estado ligado estavam nos sites da Ruskyi Mir e da Rossotrudnichestvo, instituições estatais criadas pelo Kremlin para divulgar a cultura e o mundo russos, mas que, segundo fontes citadas pelo jornal, “podem servir de cobertura a elementos dos serviços secretos” da Rússia.


Entretanto, a Câmara de Setúbal indicou, em comunicado, que retirou do acolhimento de cidadãos ucranianos a técnica superior de origem russa Yulia Khashin e que vai pedir ao Ministério da Administração Interna que proceda a uma averiguação sobre a receção de refugiados por russos alegadamente pró-Putin.



FM (GR) // JPS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário