04 Julho 2022, 08:02

Ucrânia: Dois Prémios Nobel de Literatura pedem à Alemanha que envie armas para Kiev

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

As galardoadas com o Nobel da Literatura Svetlana Alexievich (Bielorrússia) e Herta Müller (Alemanha) apelaram ao Governo alemão para corrigir o seu rumo na crise da Ucrânia e enviar armas para Kiev, numa entrevista publicada hoje pelo semanário Der Spiegel.

“A Ucrânia deve sair vitoriosa deste conflito, é importante para a democracia na Ucrânia e também na Bielorrússia”, disse Alexievich, que nasceu no país do Mar Negro, mas passou a maior parte da sua vida na Bielorrússia.

A escritora e jornalista, que recebeu o Prémio Nobel em 2015, vive exilada na Alemanha desde 2020 devido à sua oposição ao governo de Alexander Lukashenko.

Müller chamou de “uma desculpa” ao argumento do governo alemão que o envio de armas para regiões em conflito apenas exacerba as tensões.

“O que fizemos na ex-Jugoslávia nos anos 90, com boas razões? Ajudámos militarmente. São precisamente os alemães com a sua história que devem ajudar a Ucrânia”, disse o escritor, que pertence à minoria étnica alemã da Roménia.

Com o anúncio de que o exército alemão enviará 5.000 capacetes para a Ucrânia após o insistente pedido de armas de Kiev, o governo do chanceler Olaf Scholz “está a fazer figura de parvo diante do mundo inteiro”, acrescentou Müller, que se questiona se Berlim enviaria então “caixões para os soldados caídos”.

A laureada com o Nobel também descreveu a afirmação da ministra dos Negócios Estrangeiros, Annalena Baerbock, de que, “quando se fala, não se dispara” como “tonta e maluca”, porque na sua opinião “fala-se sempre, mesmo quando se dispara”.

O chanceler Scholz deslocar-se-á a Washington este domingo para discutir a crise com o Presidente norte-americano, Joe Biden, e deverá encontrar-se com o seu homólogo russo Vladimir Putin em Moscovo, a 15 de fevereiro.

O governo alemão tem-se recusado até agora a enviar armas para a Ucrânia, embora, segundo o Governo, esteja a financiar a construção de um hospital militar e seja o maior doador mundial de ajuda económica a Kiev.

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

Tags

Sem comentários

deixar um comentário