27 Setembro 2022, 18:00

Ucrânia: Donos dos Chicago Cubs mostram interesse em comprar o Chelsea

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Os donos dos Chicago Cubs, da Liga norte-americana de basebol (MLB), mostraram hoje interesse em comprar o campeão europeu e mundial de futebol, o Chelsea, cujo dono, o russo Roman Abramovic, foi sancionado pelo governo britânico.

A família Ricketts comunicou hoje a vontade de liderar um grupo de investimento que faça até sexta-feira uma proposta formal pelo emblema da Premier League.

O interesse nos londrinos já atraiu interesse de um consórcio que inclui multimilionários suíços e um dos donos dos Los Angeles Dodgers, também do basebol, mas também do empresário britânico Nick Candy.

Roman Abramovich, que também tem nacionalidade portuguesa, viu os seus ativos congelados e já mostrou intenção de vender o clube, atualmente ‘amarrado’ pelas sanções aplicadas a oligarcas russos na sequência da investida militar da Rússia na Ucrânia.

Das sanções do governo britânico aplicadas ao dono do clube, Roman Abramovich, oligarca próximo de Vladimir Putin, presidente russo, resulta, entre outras medidas, que o Chelsea esteja impedido de vender bilhetes aos seus adeptos, para que o russo não possa gerar receitas através deste expediente.

O Chelsea está impedido de vender bilhetes para jogos e negociar jogadores, enquanto o processo de venda foi suspenso por causa das sanções impostas a Roman Abramovich.

Segundo o governo britânico, até ao momento, os adeptos do Chelsea têm revelado um comportamento “totalmente inapropriado”, uma vez que estão a usar o minuto de apoio à Ucrânia, decretado antes do início dos jogos de futebol, para gritar pelo nome do seu presidente.

Sem comentários

deixar um comentário