11 Agosto 2022, 10:17

Ucrânia estima que pelo menos 344 crianças foram mortas desde início da guerra

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

As autoridades ucranianas estimaram hoje que pelo menos 344 crianças foram mortas desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro, havendo ainda a contabilizar 640 menores com ferimentos.

Segundo dados do Ministério Público ucraniano a maior parte destas vítimas (mortos e feridos) registaram-se nas regiões de Donetsk (340), Kharkiv (185), Kiev (116), Chernigiv (68), Lugansk (61), Mikolaiv (53), Kherson (52) e Zaporijia (31).

As autoridades indicaram ainda que 2.102 estabelecimentos de ensino foram atingidos na sequência dos ataques aéreos e de artilharia russas, dos quais 215 ficaram totalmente destruídos.

No início de junho, a Rússia referiu que mais de 300 mil crianças ucranianas se encontravam no seu território, desde o início do conflito, com Moscovo a considerar que tais movimentações ocorreram no âmbito de “deslocações” e Kiev a classificá-las como “expulsões ilegais”.

O último balanço das Nações Unidas, em 27 de junho, indicou que desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, tinham sido mortas 330 crianças e feridas 489, num total de 4.731 civis mortos e 5.900 feridos.

Sem comentários

deixar um comentário