30 Setembro 2022, 00:31

Ucrânia: Itália encerra espaço aéreo a aviões russos e aprova ajuda de 110 ME

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O Governo italiano decidiu fechar o seu espaço aéreo aos aviões russos e aprovou a concessão imediata de 110 milhões de euros de ajuda à Ucrânia, foi hoje anunciado.

“A Itália vai fechar o seu espaço aéreo à Rússia”, anunciou um porta-voz do Governo italiano, sem especificar o momento a partir do qual esta medida entra em vigor.

O anúncio do Governo italiano junta-se aos de outros países que tomaram a mesma decisão, entre eles a Alemanha, Irlanda, Bélgica e Luxemburgo que também anunciaram hoje o encerramento do respetivo espaço aéreo aos aviões russos, em reação à ofensiva militar da Rússia na Ucrânia.

Em comunicado, o Ministério dos Transportes alemão precisou ter decretado “a proibição de voos para aeronaves russas e operadores de aeronaves, no espaço aéreo alemão” a partir das 14:00 GMT (hora de Lisboa).

Berlim esclareceu que esta proibição é válida por três meses e que não se aplica a voos humanitários.

Além destes países, também a Polónia, República Checa, Estónia, Bulgária, Finlândia, Moldávia, Dinamarca e Reino Unido anunciaram já medidas semelhantes.

França, por seu lado, continua a estudar a hipótese de fechar o seu espaço aéreo, segundo indica a agência France-Presse, citando o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Baptiste Djebbari.

O governo italiano, através do ministro dos Negócios Estrangeiros, Luigi Di Maio, anunciou também hoje a concessão de uma ajuda de 110 milhões de euros à Ucrânia, considerando tratar-se de “um sinal concreto de solidariedade e apoio”.

“Informei o meu colega Dmytro Kuleba que acabei de assinar uma resolução que prevê o pagamento imediato de 110 milhões de euros ao Governo de Kiev, um sinal concreto de solidariedade e apoio de Itália um povo com o qual mantemos uma relação fraterna”, escreveu Luigi Di Maio na sua conta no Twitter.

Sem comentários

deixar um comentário