12 Agosto 2022, 10:36

Ucrânia: Londres adverte que Rússia quer testar resistência do Ocidente mantendo tropas

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Londres, 17 Fev 2022 (Lusa) — O Governo britânico alertou hoje que a Rússia quer “testar a resistência” do Ocidente, prolongando a presença de militares na fronteira com a Ucrânia, insistindo que Moscovo está a reforçá-la e não a reduzi-la como prometeu.


Num artigo publicado no jornal The Telegraph, a ministra britânica dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, indicou que não se deve ser levado por uma “falsa sensação de segurança” depois de a Rússia ter indicado que tinha começado a retirar alguns dos seus militares.


“Não devemos deixar-nos levar por uma falsa sensação de segurança por parte da Rússia, que afirma que alguns militares estão a regressar aos seus quartéis, enquanto, de facto, o que acontece é que a acumulação militar russa não mostra sinais de abrandamento”, disse Truss.


“Não há provas de que os russos estejam a retirar-se das regiões fronteiriças perto da Ucrânia”, insistiu.


A mesma mensagem deixou o ministro da Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, afirmando que a Rússia ainda não começou a retirar as suas tropas em torno da Ucrânia, e continua a reforçar essa presença, referindo-se mesmo à construção de uma ponte entre a Bielorrússia e as proximidades da Ucrânia.


“Vemos o oposto de algumas das declarações (feitas pela Rússia). Temos visto um aumento de tropas nas últimas 48 horas, até 7.000 soldados, vimos uma ponte construída da Bielorrússia para a Ucrânia ou perto da Ucrânia”, disse à chegada à reunião dos ministros da Defesa da NATO que decorre em Bruxelas.


Sem abandonar a frente da diplomacia, Londres diz, através da sua ministra dos negócios Estrangeiros, que a Rússia poderia prolongar a situação atual por “semanas, se não meses, desafiando a unidade ocidental”.


Tuss inicia hoje uma visita à Ucrânia e à Polónia e espera encontrar-se com os seus homólogos ucraniano, Dmitro Kuleba, e o polaco, Zbigniew Rau, para “demonstrar apoio unânime à soberania da Ucrânia” dos países europeus, segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros.


No sábado, a ministra estará presente na Conferência de Segurança de Munique, onde reforçará os laços com os aliados estratégicos do Reino Unido, acrescentou o ministério.



ANP // CC


Lusa/fim

Sem comentários

deixar um comentário