07 Outubro 2022, 06:20

Ucrânia: OCDE fecha representação em Moscovo e põe termo a processo de adesão da Rússia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) decidiu hoje por termo ao processo de adesão da Rússia e encerrar o gabinete de representação da organização em Moscovo.

A organização intergovernamental, com 38 países membros, reuniu o seu Conselho para tomar “uma série de decisões iniciais” contra o regime do Presidente russo, Vladimir Putin, depois de, na quinta-feira, ter condenado “a agressão em larga escala da Rússia contra a Ucrânia nos mais veementes termos”.

“Em primeiro lugar, o Conselho decidiu pôr termo formal ao processo de adesão com a Rússia, que tinha sido adiado em 2014”, ano em que a Rússia ocupou a Crimeia, anunciou a OCDE em comunicado.

O Conselho resolveu também encerrar o gabinete da OCDE em Moscovo e “para pôr termo a todos os convites à Rússia a nível ministerial e nos organismos em que participava como convidada”.

A OCDE suspendeu também a celebração de quaisquer novos acordos de contribuições voluntárias com a Rússia e o seu secretário-geral deve “tomar as medidas necessárias para impedir quaisquer projetos financiados através de contribuições voluntárias da Rússia, que ainda não tenham sido iniciados”.

O Conselho anunciou ainda que vai ser reforçado o apoio da OCDE ao governo da Ucrânia e reiterou a solidariedade com o povo ucraniano.

Sem comentários

deixar um comentário