05 Outubro 2022, 16:29

Ucrânia: Papa apela ao “silêncio das armas” e diz-se de “coração ferido”

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O Papa Francisco apelou hoje ao “silêncio das armas” na Ucrânia, dizendo que o seu coração está “ferido pelo que está a acontecer” no país invadido pela Rússia.

O Papa disse estar “com o coração partido pelo que está a acontecer” no país, que foi invadido pela Rússia, e apelou ao “silêncio das armas” após a sua tradicional oração do Angelus na Praça de São Pedro.

“Deus está com aqueles que procuram a paz, não com aqueles que recorrem à violência”, sublinhou o Papa, que já hoje apelou à comunidade internacional para abrir “com urgência” corredores humanitários para acolher os refugiados que fogem da Ucrânia e procuram refúgio da invasão russa, considerando que os “que fazem a guerra esquecem a humanidade”.

Cerca de 368.000 refugiados fugiram dos combates na Ucrânia para os países vizinhos, desde a invasão russa desencadeada na quinta-feira, e o número continua a aumentar, indicaram hoje as Nações Unidas.

Sem comentários

deixar um comentário