04 Julho 2022, 01:27

Ucrânia: Quase 700 pessoas morreram em Chernigiv desde o início da invasão russa – autarca

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Chernigiv, Ucrânia, 08 abr 2022 (Lusa) — Cerca de 700 pessoas foram mortas em ataques militares em Chernigiv – no norte da Ucrânia, perto da fronteira bielorrussa — cidade que tem sido bombardeada há várias semanas por tropas russas, informou hoje o presidente da câmara.


“Posso dar um número aproximado: 700 pessoas. São soldados e civis”, disse o autarca, Vladyslav Atrochenko, citado pela agência independente ucraniana Unian.


De acordo com Atrochenko, 80.000 a 95.000 pessoas ainda vivem nesta cidade localizada a cerca de 150 quilómetros de Kiev, a capital ucraniana, e que tinha quase 300.000 pessoas antes do início da invasão russa, no final de fevereiro.


Um primeiro grande comboio de ajuda humanitária chegou a Chernigiv na quinta-feira, desde a retirada das tropas russas da região na semana passada, disse o governador regional, Vyacheslav Tchaous.


O governador pediu aos habitantes da região que permaneçam vigilantes perante o risco de novos bombardeamentos russos, lembrando que os aviões e mísseis russos continuam a sobrevoar a zona.


A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.611 civis, incluindo 131 crianças, e feriu 2.227, entre os quais 191 menores, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.


A guerra já causou um número indeterminado de baixas militares e a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, das quais 4,3 milhões para os países vizinhos.


Esta é a pior crise de refugiados na Europa desde a II Guerra Mundial (1939-1945) e as Nações Unidas calculam que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.


A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.



RJP // MLS


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário