04 Julho 2022, 19:39

Rio sugere que PS pode ter “receio” de que autarca de Setúbal “acabe por implicar” Governo

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

O presidente do PSD colocou hoje a hipótese de o PS ter recusado ouvir no parlamento o presidente da Câmara de Setúbal sobre o acolhimento de refugiados ucranianos por russos por receio de que este “acabe por implicar” o Governo.

“Não se entende, não consigo mesmo entender, a não ser que tenha receio de que o presidente da câmara de Setúbal, ao começar a esclarecer, acabe a implicar alguma coisa ligada ao Governo ou ao PS, só se for isso”, respondeu Rui Rio, no Porto, quando questionado sobre a recusa dos socialistas em ouvir o autarca na Assembleia da República (AR).

O líder social-democrata lembrou que o PS teve uma posição diferente quando foi a Câmara de Lisboa, presidida na altura por Fernando Medina, a ser acusada de partilhar dados de manifestantes russos com a Rússia.

“Sinceramente não entendo (…)  principalmente [porque] quando foi a questão também dos dados enviados, o evento denunciado à Rússia pela Câmara Municipal de Lisboa (CML), o PS teve uma atitude exatamente ao contrário. Não disse que é a Assembleia Municipal de Lisboa que tem que tratar, disse, sim senhor, o dr. Fernando Medina, na altura presidente da CML, tem que vir aqui responder e ele foi”, lembrou.

“Se o presidente da CML foi na altura responder por aquilo, este não vai por uma coisa, que a existir, ainda é mais grave”, questionou.

Questionado sobre se achava que era uma questão de encobrimento, Rui Rio afirmou que pode achar que sim: “Eu não sei o que hei achar, mas posso achar isso [que é uma questão de encobrimento] e posso achar porque é tão absurdo que eu não sei o que achar”, respondeu.

A Federação Russa lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia com invasão por forças terrestres e bombardeamentos.

Em 29 de abril, o jornal Expresso noticiou que refugiados ucranianos foram recebidos em Setúbal por russos ligados ao regime de Vladimir Putin.

Sem comentários

deixar um comentário