24 Maio 2022, 04:22

Ucrânia: Rússia inicia manobras militares no Mar Negro

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Moscovo, 26 jan 2022 (Lusa) — A Rússia iniciou hoje manobras militares no Mar Negro, com a participação de mais de 20 navios, informou o Ministério da Defesa russo, num contexto de tensão nas fronteiras da Ucrânia.


Um grupo naval, incluindo navios de guerra e navios de apoio, deixou as bases de Sevastopol e de Novorssísk para chegar às áreas designadas, de acordo com um comunicado militar, que menciona ainda a presença nas manobras de fragatas, barcos de patrulha, navios antissubmarinos, navios equipados com mísseis de vários tipos, navios de desembarque e caça-minas.


As unidades vão desempenhar uma série de exercícios e treinos sobre organização de comunicações, manobras seguras em áreas de navegação intensiva e organização de defesa antiaérea no mar, segundo o comunicado do Ministério da Defesa russo.


A Rússia – que realiza vários exercícios militares enquanto concentra mais de 100.000 soldados na fronteira com a Ucrânia – garante que as manobras fazem parte do Plano de Treino das Forças Armadas da Federação Russa para 2022.


“Em janeiro-fevereiro uma série de exercícios navais estão a ser realizados em todas as áreas de responsabilidade das frotas sob a supervisão geral do Comandante-em-Chefe da Marinha, almirante Nikolai Evmenov”, explica o comunicado.


“O foco principal dos exercícios é determinar as ações da Marinha e das Forças Aeroespaciais para proteger os interesses nacionais russos em águas marítimas, bem como combater as ameaças militares à Federação Russa”, acrescenta.


Os exercícios vão realizar-se em águas dos mares adjacentes ao território russo, bem como em águas internacionais, consideradas relevantes para as operações militares.


Exercícios distintos e separados serão realizados nas águas dos mares Mediterrâneo, Norte, Okhotsk, na parte nordeste do Oceano Atlântico e no Oceano Pacífico.


No total, Moscovo conta com a presença de mais de 140 navios de guerra e embarcações de apoio, mais de 60 aeronaves, 1.000 unidades de equipamento militar e cerca de 10.000 soldados.



RJP // PAL


Lusa/Fim

Sem comentários

deixar um comentário