04 Julho 2022, 04:08

Ucrânia: Seis civis, incluindo duas crianças, feridos em ataque russo em Zaporijia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Seis civis, incluindo duas crianças, ficaram hoje feridos na sequência de um ataque russo com armas automáticas contra dois carros que estavam a sair da região ucraniana de Zaporijia, de acordo com o Comando militar do sul.

“Hoje, 21 de março, na cidade de Malinivka, em Zaporijia, os invasores russos dispararam com armas automáticas contra dois carros com civis que estavam a ser retirados do território temporariamente ocupado através de um corredor automático”, escreveu o Comando na sua página oficial no Facebook.

 

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



Duas crianças, três mulheres e um homem ficaram feridos e foram socorridos por médicos militares das forças de defesa territorial de Zaporijia, antes de serem encaminhados para unidades hospitalares.

“Estávamos a passar por um posto de controlo russo em direção a Poltakva. Não estava lá ninguém. No entanto, a 100 metros de distância, os soldados russos que ocupavam a aldeia começaram a dispara sobre nós”, disse um dos feridos, habitante em Malinivka.

O Comando militar publicou fotografias no Facebook com os feridos numa ambulância.

“No nosso hospital, as crianças, que estão feridas com gravidade, estabilizaram os seus sinais vitais. Estão ligadas a sistemas de ventilação artificial”, disse o médico-chefe do hospital Pokrovs, Volodímir Kolomoítsev.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou pelo menos 925 mortos e 1.496 feridos entre a população civil, incluindo mais de 170 crianças, e provocou a fuga de mais 10 milhões de pessoas, entre as quais 3,48 milhões para os países vizinhos, indicam os mais recentes dados da ONU.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Tags

Sem comentários

deixar um comentário