03 Julho 2022, 19:56

Ucrânia: Shell vai deixar os projetos com a Gazprom na Rússia

LUSA Autor
Agência de notícias de Portugal

Agora que chegou aqui…

Ao longo do último ano, o MUNDO ATUAL tem conquistado cada vez mais leitores.
Nunca quisemos limitar o acesso aos nossos conteúdos, ao contrário do que fazem outros órgãos de comunicação, e mantivemos sempre todas as notícias, reportagens e entrevistas abertas para que todos as pudessem ler.
Mas precisamos do seu apoio. Para que possamos, diariamente, continuar a oferecer-lhe a melhor informação, não só nacional como local, assim como para podermos fazer mais reportagens e entrevistas do seu interesse.
O MUNDO ATUAL é um órgão de comunicação social independente e isento. E acreditamos que para que possamos continuar o nosso caminho, que tem sido de sucesso e de reconhecimento, é importante que nos possa ajudar neste caminho que iniciámos há um ano.
Desta forma, por tão pouco, com apenas 1€, pode apoiar o MUNDO ATUAL.

Obrigado!

PUB – CONTINUE A LER A SEGUIR



O grupo petrolífero Shell anunciou hoje que vai abandonar a sua participação em vários projetos conjuntos com o grupo russo Gazprom na Rússia, devido à invasão da Ucrânia, seguindo o exemplo da também britânica BP.

“A nossa decisão de partir foi tomada com convicção”, assegurou o diretor-geral da Shell, Ben van Beurden, num comunicado enviado à bolsa de Londres.

As participações em causa valiam no fim de 2021 cerca de 3.000 milhões de dólares e abrangiam em particular o envolvimento no projeto de gás natural Sakhaline-2 no Extremo Oriente russo, segundo o comunicado.

A Shell também pretende terminar o seu envolvimento no gasoduto Nord Stream 2, que foi construído para transportar gás russo diretamente para a Alemanha sem passar pela Ucrânia.

No domingo, a petrolífera britânica BP anunciou que vai deixar a russa Rosneft, na qual detém uma participação de 19,75%, na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Sem comentários

deixar um comentário